27 de março de 2018, 20h07

Ônibus da caravana de Lula é alvo de atentado a tiros no Paraná

Opositores armaram emboscada na estrada para furar pneus e ao menos três marcas de disparo de arma de fogo foram encontradas na lataria de um dos ônibus da caravana; presidenta do PT denuncia descaso das autoridades com segurança de Lula e dos militantes

Foto: Brasil de Fato

A violência de opositores contra o ex-presidente Lula e sua caravana pelo Sul do país não só segue com tem sido intensificada. No final da tarde desta terça-feira (27), um dos ônibus que acompanha a comitiva, no trajeto entre Quedas do Iguaçu e Laranjeiras do Sul, no Paraná, foi atingido por pelo menos três disparos de arma de fogo. Ninguém ficou ferido.

Além dos tiros, opositores armaram emboscadas na rodovia com pregos para furar os pneus dos veículos.

A Polícia Militar foi contatada para fazer a perícia nos ônibus.

Descaso

Em coletiva concedida para falar dos últimos atos de violência, a presidenta nacional do PT, senadora Gleisi Hoffmann (PR), afirmou que os integrantes da caravana estão assustados e denunciou o descaso das autoridades com relação à segurança do ex-presidente Lula e de sua caravana. De acordo com Gleisi, foi feito contato, por mais de uma vez, com o ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, em que foi passado todo o itinerário da caravana e relatado os atos de violência. O governo do Estado do Paraná, bem como o comando da Polícia Militar, também foram acionados, mas as agressões continuam acontecendo e se intensificando.

“O fato é que não temos proteção. Precisamos de uma manifestação das autoridades deste país”, afirmou a senadora.

Confira a coletiva, registrada pelo colaborador da Fórum, Murilo Matias.