07 de setembro de 2018, 12h32

ONU pede “diálogo” ao Brasil depois de atentado a Bolsonaro

"Pedimos que quaisquer diferenças em opiniões políticas sejam resolvidas pelo diálogo, e não pela violência, em qualquer ambiente eleitoral. E o Brasil não é uma exceção", disse Ravina Shamdasani

ONU. Foto: ONU/Jean-Marc Ferré

Por Brasil 247

O Alto Comissariado da Organização das Nações Unidas (ONU) para os Direitos Humanos pediu “diálogo” ao Brasil, em função do ataque sofrido pelo candidato à Presidência da República Jair Bolsonaro (PSL).

“Pedimos que quaisquer diferenças em opiniões políticas sejam resolvidas pelo diálogo, e não pela violência, em qualquer ambiente eleitoral. E o Brasil não é uma exceção”, disse a porta-voz do Alto Comissariado da ONU, Ravina Shamdasani.

“Soubemos do ataque ao candidato ontem (quinta-feira)”, disse ela durante uma entrevista coletiva realizada nesta sexta-feira (7_) em Genebra, na Suíça. “Entendemos que ele está se recuperando e nossos pensamentos estão com ele e sua família. Também entendemos que o incidente está sendo investigado”, completou.