Imprensa livre e independente
23 de maio de 2018, 15h24

Onze anos após a primeira denúncia, Azeredo se entrega para cumprir pena

O ex-governador, condenado a 20 anos e 1 mês de prisão, já era considerado foragido desde a manhã desta quarta-feira (23)

O ex-governador de Minas Gerais, Eduardo Azeredo(PSDB), se entregou por volta das 14h45 desta quarta-feira (23) em uma delegacia de Belo Horizonte (MG), mais de 20 anos depois da data em que ocorreram os fatos pelos quais é acusado e mais de 11 anos após a primeira denúncia. Trata-se do primeiro preso do chamado “mensalão tucano”. Desde a manhã desta quarta-feira (23), um dia após ter seu último recurso negado pela Justiça, Azeredo era considerado foragido  e a polícia realizava buscas pelas ruas da capital mineira. Ele foi condenado em segunda instância a 20 anos e um mês de prisão...

O ex-governador de Minas Gerais, Eduardo Azeredo(PSDB), se entregou por volta das 14h45 desta quarta-feira (23) em uma delegacia de Belo Horizonte (MG), mais de 20 anos depois da data em que ocorreram os fatos pelos quais é acusado e mais de 11 anos após a primeira denúncia. Trata-se do primeiro preso do chamado “mensalão tucano”.

Desde a manhã desta quarta-feira (23), um dia após ter seu último recurso negado pela Justiça, Azeredo era considerado foragido  e a polícia realizava buscas pelas ruas da capital mineira.

Ele foi condenado em segunda instância a 20 anos e um mês de prisão por peculato e lavagem de dinheiro. Segundo o Ministério Público Federal, o tucano foi beneficiário de um esquema de desvio de dinheiro de estatais para abastecer o caixa 2 de sua campanha de reeleição ao governo de Minas Gerais, em 1998. Saiba mais aqui.

 

Veja também:  Colunista porta-voz de família Marinho culpa filhos de Bolsonaro por crise no governo

Fórum em Brasília, apoie a Sucursal

Fórum tem investido cada dia mais em jornalismo. Neste ano inauguramos uma Sucursal em Brasília para cobrir de perto o governo Bolsonaro e o Congresso Nacional. A Fórum é o primeiro veículo a contratar jornalistas a partir de financiamento coletivo. E para continuar o trabalho precisamos do seu apoio. Clique no link abaixo e faça a sua doação.

Apoie a Fórum