26 de junho de 2018, 21h16

Os rostos da Vigília Lula Livre, que completa 80 dias de mobilização

Há 80 dias em constante mobilização, a Vigília Lula Livre, nos arredores da local onde o ex-presidente Lula está preso em Curitiba, reúne todos os tipos de histórias e pessoas. Em ensaio, fotógrafo registrou, através do rosto dessas pessoas, o espírito de resistência. Confira

A Vigília Lula Livre, mobilização permanente no bairro de Santa Cândida, em Curitiba, completa nesta terça-feira (26) 80 dias de existência. Organizada logo que o ex-presidente Lula se entregou à prisão na superintendência da Polícia Federal, a vigília é composta por apoiadores de Lula das mais diferentes idades, raças e classes sociais.

São essas centenas de pessoas que, diariamente, protagonizam o “bom dia”, o “boa tarde” e o “boa noite” ao ex-presidente Lula. Pelo local, de acordo com a organização da vigília, já passaram mais de 40 mil pessoas, entre personalidades, artistas, políticos e lideranças, tanto nacionais quanto internacionais.

“A Vigília é a praça pública, permanente e diária, a tribuna por onde passam lideranças políticas do Brasil e internacionais, onde a luta se mantém viva e recebe caravanas de todo o país, em caráter de formação, de solidariedade militante, de troca de conhecimentos, enviando energia ao ex-presidente e mantendo forte a mensagem dele”, diz uma nota divulgada pelos organizadores.

A pluralidade e o espírito de fé, luta e resistência foram captados pelas lentes do fotógrafo Eduardo Matysiak com o ensaio “Rostos da Vigília Lula Livre”. Matysiak é o fotógrafo que, em abril, retratou Leonado Boff na porta da Polícia Federal, na tentativa de visitar Lula, em uma foto que rodou o mundo.

Confira.