Os Entendidos

Os Entendidos

Debater a diversidade com bom humor.

18 de junho de 2014, 16h55

Crossdresser: o que é ?

Texto da colaboradora Bruninha Loira Sapeka Crossdresser significa vestir-se ao contrário, vestir-se cruzado, ou seja, com roupas do gênero oposto. O crossdresser é um transgênero, e na sigla LGBT é representado pela letra T – de transgênero – como as travestis e transexuais. O que difere um crossdresser é a forma de sua transição entre os […]

Texto da colaboradora Bruninha Loira Sapeka

Crossdresser significa vestir-se ao contrário, vestir-se cruzado, ou seja, com roupas do gênero oposto. O crossdresser é um transgênero, e na sigla LGBT é representado pela letra T – de transgênero – como as travestis e transexuais. O que difere um crossdresser é a forma de sua transição entre os gêneros masculino e feminino. Gênero é a forma que nos apresentamos para a sociedade, expressa principalmente na aparência externa, com destaque para a forma de vestir.

O Crossdresser transita entre esses polos com facilidade, na maioria das vezes secretamente, se “montando” e se “desmontando” quando julga necessário e conveniente. O movimento teve origem por volta dos anos 60 nos Estados Unidos, inicialmente em grupos de homens heterossexuais que se travestiam secretamente. Diferente de outrora, atualmente qualquer um pode ser crossdresser.

Eu me identifico como homem homossexual e comecei a me vestir como mulher após o término de um casamento de anos, e por não me encaixar nos padrões mais cobrados nas baladas, além de ser somente passivo. Esses fatores e as respostas sociais a eles me fizeram buscar alternativas para que eu recuperasse minha autoestima e me relacionasse com pessoas que se enquadrassem no meu perfil. Além disso, sempre senti atração por homens do tipo comum, que a gente vê nas ruas: casados com mulheres, fortes, viris e másculos. Hoje é com homens assim que me relaciono, o que joga uma luz interessante sobre os desejos “do macho”, como grupo social.

No início tive que aprender a ser uma crossdresser de forma solitária, pois fiz várias buscas por livros do tema e todos eram escritos de forma técnica e acadêmica. Não era isso que eu procurava e aos poucos fui fazendo pesquisas com outras crossdressers, de outros países, cujas práticas estavam anos a frente das do Brasil, já que aqui o movimento ainda é recente. Por fim, assumi minha nova identidade e meu primeiro encontro valeu mais do que todos os outros vividos até então. Adotei o pseudônimo de Bruninha Loira Sapeka, e tornei-me uma personalidade influente do segmento, sendo requisitada para realizar encontros e eventos artísticos em todo o Brasil. Atualmente, recebo convites de  pessoas dispostas a fazer essa transição, que se reúnem em casas, apartamentos, chácaras e resorts. Em sua maioria, são pessoas com alto poder aquisitivo, interessadas em receber aulas de como se tornar uma crossdresser de sucesso.

Fui mais além, lancei um livro chamado Segredos de uma Crossdresser – Cdzinha que é destaque no Brasil e no exterior, principalmente em Portugal. É motivo de muita alegria, pois realizo o sonho de ajudar pessoas que antes estavam na minha situação e hoje se sentem realizadas, pois o mínimo que precisamos para viver bem é a autoestima. Recentemente foi lançado um documentário  sobre o tema no Youtube, e rotineiramente consigo manter minha personalidade crossdresser no mais absoluto sigilo.

Segredos de uma Crossdresser – Cdzinha livro que se tornou referência no segmento, pode ser lido em formato digital através da Saraiva, e mundialmente na Amazon.