Imprensa livre e independente
15 de dezembro de 2016, 09h17

Padilha recebeu R$ 1 milhão da Odebrecht, diz delator

Não escapa um da alta cúpula do governo, a começar pelo próprio presidente Michel Temer. A bola da vez é o Chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha. O político do PMDB teria recebido R$ 1 milhão da empreiteira pelo caixa dois.

Não escapa um da alta cúpula do governo, a começar pelo próprio presidente Michel Temer. A bola da vez é o Chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha. O político do PMDB teria recebido R$ 1 milhão da empreiteira pelo caixa dois. Da Redação Eliseu Padilha, Chefe da Casa Civil do Governo Temer, aparece em planilha de pagamento do Setor de Operações Estruturadas da Odebrecht. De acordo com o documento, que foi apreendido pela PF na casa da ex-funcionária da empresa, Maria Lúcia Tavares, o valor do pagamento a Padilha é de R$ 1 milhão. Esta é mais uma das revelações...

Não escapa um da alta cúpula do governo, a começar pelo próprio presidente Michel Temer. A bola da vez é o Chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha. O político do PMDB teria recebido R$ 1 milhão da empreiteira pelo caixa dois.

Da Redação

Eliseu Padilha, Chefe da Casa Civil do Governo Temer, aparece em planilha de pagamento do Setor de Operações Estruturadas da Odebrecht. De acordo com o documento, que foi apreendido pela PF na casa da ex-funcionária da empresa, Maria Lúcia Tavares, o valor do pagamento a Padilha é de R$ 1 milhão.

Esta é mais uma das revelações de pagamento de propina da delação do ex-diretor de relações institucionais da Odebrecht Cláudio Melo Filho envolvendo a alta cúpula do governo. Ele afirma que o dinheiro doado ao PMDB foi destinado a Paulo Skaf (R$ 6 milhões) e a Eliseu Padilha (R$ 4 milhões).

Na planilha aparece o codinome “Angorá”, usado pela empresa para se referir a Moreira Franco. Segundo a Odebrecht, os dois se confundiriam nos mesmos papéis. Sobre isso, Cláudio Melo explica: “No caso em concreto, o codinome utilizado pelo setor de operações estruturadas para definir Eliseu Padilha nesta operação financeira foi ‘Angorá’”.

Veja também:  Bancos são delatados por Odebrecht

Segundo o delator, o total de R$ 10 milhões de doações para o PMDB teria sido pedido em 2014 pelo presidente Michel Temer, o que o Palácio nega. Contribuições oficiais da Odebrecht ao PMDB em 2014 totalizaram R$ 11,3 milhões, pagos entre 5 de setembro e 23 de outubro.

Circularam na tarde de ontem em Brasília boatos de que Padilha também renunciaria, mas ele desmentiu dizendo que não deixaria Temer na mão.

Fórum em Brasília, apoie a Sucursal

Fórum tem investido cada dia mais em jornalismo. Neste ano inauguramos uma Sucursal em Brasília para cobrir de perto o governo Bolsonaro e o Congresso Nacional. A Fórum é o primeiro veículo a contratar jornalistas a partir de financiamento coletivo. E para continuar o trabalho precisamos do seu apoio. Clique no link abaixo e faça a sua doação.

Apoie a Fórum