Imprensa livre e independente
13 de junho de 2016, 17h38

Pai coloca filha recém-nascida à venda em site de classificados

Caso aconteceu no Amapá. O pai afirmou que tudo não passava de uma brincadeira.

Caso aconteceu no Amapá. Após denúncia ao Conselho Tutelar, pai afirmou que tudo não passava de uma brincadeira Por Redação* Um anúncio no site de vendas OLX chamou a atenção nesta segunda-feira, (13). Um jovem de 21 anos colocou sua filha recém-nascida à venda. O preço a ser pago era de R$ 1 milhão. Segundo o anúncio a criança possui apenas 16 dias. Pessoas que viram a publicação denunciaram o caso para o Conselho Tutelar do Amapá, que foi verificar. A conselheira entrou em contato como se quisesse comprar a criança. Na hora, o pai começou a chorar. Depois ele...

Caso aconteceu no Amapá. Após denúncia ao Conselho Tutelar, pai afirmou que tudo não passava de uma brincadeira

Por Redação*

Um anúncio no site de vendas OLX chamou a atenção nesta segunda-feira, (13). Um jovem de 21 anos colocou sua filha recém-nascida à venda. O preço a ser pago era de R$ 1 milhão. Segundo o anúncio a criança possui apenas 16 dias.

Pessoas que viram a publicação denunciaram o caso para o Conselho Tutelar do Amapá, que foi verificar. A conselheira entrou em contato como se quisesse comprar a criança. Na hora, o pai começou a chorar.

Depois ele prestou depoimento e disse estar arrependido. Além disso, ele disse que não teria apagado o anúncio por não saber como fazer.

A OLX afirmou em nota que “lamenta profundamente o ocorrido” e que retirou o anúncio assim que percebeu o conteúdo.

Imagem de Capa: Reprodução

Veja também:  As “coincidências” entre o pedido de Moro para “inverter a ordem” de operações e a condução coercitiva de Lula

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum