11 de junho de 2018, 16h45

Lula recebe rosário abençoado por Papa Francisco

Antes do presente que chegou hoje a Lula na superintendência da Polícia Federal em Curitiba, o Papa Francisco já havia feito uma fala sobre como a mídia difama pessoas públicas e ajudam a construir golpes de estado que inúmeros religiosos entenderam como um recado ao Brasil

Foto: Claudio Kbene
O ex-presidente Lula, preso há mais de dois meses na superintendência da Polícia Federal em Curitiba (PR), recebeu nesta segunda-feira (11) um presente especial: um rosário abençoado pelo Papa Francisco. As informações são da equipe de comunicação de Lula. Na divulgação da imagem do rosário na página do ex-presidente do Facebook, no entanto, não é especificado o nome de quem entregou o presente ao petista. Mas é provável que a lembrança tenha vindo pelas mãos de Juan Grabois, consultor do Papa Francisco para assuntos de Justiça e Paz, que chegou em Curitiba hoje para tentar visitar Lula. O presente do...

O ex-presidente Lula, preso há mais de dois meses na superintendência da Polícia Federal em Curitiba (PR), recebeu nesta segunda-feira (11) um presente especial: um rosário abençoado pelo Papa Francisco. As informações são da equipe de comunicação de Lula.

Na divulgação da imagem do rosário na página do ex-presidente do Facebook, no entanto, não é especificado o nome de quem entregou o presente ao petista. Mas é provável que a lembrança tenha vindo pelas mãos de Juan Grabois, consultor do Papa Francisco para assuntos de Justiça e Paz, que chegou em Curitiba hoje para tentar visitar Lula.

O presente do pontífice vem pouco tempo após a declaração em uma homilia em que fez críticas à forma como a mídia ajuda a difamar figuras públicas e, assim, construir golpes de estado. Muitos entenderam a fala de Francisco como um recado direto ao Brasil. “Criam-se condições obscuras para condenar uma pessoa. A mídia começa a falar mal das pessoas, dos dirigentes, e com a calúnia e a difamação essas pessoas ficam manchadas. Depois chega a Justiça, as condena, e no final, se faz um golpe de Estado”, disse o Papa na ocasião.

Segundo o Vatican News, Grabois “declarou que foi o Papa a enviar o Terço, mas simplesmente que se tratava de um Terço que tinha sido ‘abençoado’ pelo Papa”. Fórum apurou que Francisco havia convidado Grabois para ser um dos 15 consultores do Pontifício Conselho para a Justiça e a Paz logo que assumiu, em 11 de junho de 2016. “Mas sendo ou não representante oficial do Vaticano, se ele disse que o Papa falou, a mensagem é do Papa mesmo. Grabois tem mais proximidade e informação do que o Papa pensa do Lula do que qualquer cardeal brasileiro”, sustentou Pablo Gentili, secretário geral do Conselho Latino Americano de Ciências Sociais (Clacso). Fórum irá continuar a apuração dessa história.

Na noite desta terça-feira (12), no entanto, o site Vatican News apagou a primeira nota em que relativizava o teor da vinda de Gabrois ao Brasil e divulgou um novo texto em que confirma a notícia veiculada por Fórum e outros veículos. Saiba mais aqui.

Matéria atualizada às 22h10 do dia 12/6 

Leia também
Fórum Onze e Meia: A fala do Papa sobre golpe de Estado