Imprensa livre e independente
03 de maio de 2017, 09h02

Para advogado de Palocci, com a soltura de Dirceu acabou o terror penal

"O Supremo fez chegar ao Brasil o 9 de Termidor da Revolução Francesa", comemorou o advogado. "É a Justiça pairando acima da turba ululante das ruas", disse.

“O Supremo fez chegar ao Brasil o 9 de Termidor da Revolução Francesa”, comemorou o advogado. “É a Justiça pairando acima da turba ululante das ruas”, disse. Da Redação* Para o conhecido advogado José Roberto Batochio, que defende o ex-ministro José Palocci e também o ex-presidente Lula, com a soltura de José Dirceu acabou o terror: “O Supremo fez chegar ao Brasil o 9 de Termidor da Revolução Francesa”, comemora. “É a Justiça pairando acima da turba ululante das ruas”, disse. O 9 de Termidor, que corresponde a 27 de junho de 1794 no calendário gregoriano, foi o fim do...

“O Supremo fez chegar ao Brasil o 9 de Termidor da Revolução Francesa”, comemorou o advogado. “É a Justiça pairando acima da turba ululante das ruas”, disse.

Da Redação*

Para o conhecido advogado José Roberto Batochio, que defende o ex-ministro José Palocci e também o ex-presidente Lula, com a soltura de José Dirceu acabou o terror: “O Supremo fez chegar ao Brasil o 9 de Termidor da Revolução Francesa”, comemora. “É a Justiça pairando acima da turba ululante das ruas”, disse.

O 9 de Termidor, que corresponde a 27 de junho de 1794 no calendário gregoriano, foi o fim do período do terror, o basta à guilhotina e o fim do seu principal símbolo, Robespierre, que acabou guilhotinado no dia seguinte.

“Não é o fim da Lava Jato, mas é o fim das prisões preventivas. Essa decisão põe um freio muito forte nas prisões e na pressão para que haja mais delações”, diz Oscar Vilhena Vieira, diretor da escola de direito da Fundação Getúlio Vargas em São Paulo e pesquisador do STF.

Na última semana, o Supremo já havia sinalizado que Dirceu iria para casa ao soltar o empresário Eike Batista, o ex-tesoureiro do PP João Carlos Genu e o pecuarista José Carlos Bumlai.

Veja também:  Manifestações começam pelo Twitter na semana em que Bolsonaro pretende ir ao Nordeste

Segundo Vilhena, as investigações não vão acabar porque há uma quantidade nada desprezível de provas já reunidas, sobretudo as colhidas na megadelação da Odebrecht, mas a operação talvez não consiga chegar a dois setores que os procuradores consideravam estratégicos: os bancos e o Judiciário.

Advogado da ex-presidente Dilma Roussef (PT) e do senador Aécio Neves (PSDB-MG), o advogado Alberto Toron classifica de “histórica” a decisão da 2ª turma do Supremo: “O STF resgata o seu papel de guardião da liberdade, remarcando a ilegalidade de se prender preventivamente como forma de punição antecipada”.

Toron discorda da avaliação, comum entre procuradores da operação, de que a Lava Jato passa a correr riscos com a decisão de libertar Dirceu. “É apenas uma soltura. Nada mais. É um alerta contra o uso abusivo da prisão preventiva. Admitir o contrário é acreditar que só se pode apurar prendendo o que escancara a ilegalidade. A Lava Jato seguirá firme e forte”.

*Com informações da Folha

Fórum em Brasília, apoie a Sucursal

Fórum tem investido cada dia mais em jornalismo. Neste ano inauguramos uma Sucursal em Brasília para cobrir de perto o governo Bolsonaro e o Congresso Nacional. A Fórum é o primeiro veículo a contratar jornalistas a partir de financiamento coletivo. E para continuar o trabalho precisamos do seu apoio. Clique no link abaixo e faça a sua doação.

Apoie a Fórum