19 de setembro de 2018, 16h35

Para biógrafo, Sócrates ficaria chocado com apoio de jogadores a Bolsonaro

Andrew Downie, jornalista escocês, escreveu uma biografia do craque brasileiro, publicada em 2017: “Esses caras hoje em dia são o contrário do Sócrates. Ganham muito mais e se importam muito menos com o lugar de onde eles vêm”

Foto: Reprodução/Cartão Verde/TV Cultura

O jornalista escocês, Andrew Downie, correspondente da Agência Reuters no Brasil, foi o autor da biografia do craque Sócrates, publicada em 2017, somente em inglês: “Doutor Sócrates: Futebolista, Filósofo e Lenda”. O jogador, que fez história no Corinthians e na seleção brasileira, se notabilizou fora dos campos por ser personagem central de movimentos políticos importantes na década de 1980, como a Democracia Corintiana e a campanha das Diretas Já.

Em entrevista a Bruno Rodrigues, da Folha de S.Paulo, Downie diz que se surpreendeu com as frequentes manifestações atuais de jogadores de futebol em apoio ao candidato à presidência Jairo Bolsonaro (PSL). “Esses caras hoje em dia são o contrário do Sócrates. Ganham muito mais e se importam muito menos com o lugar de onde eles vêm. Sócrates era imprevisível e não posso falar por ele, mas creio que ele estaria chocado em ouvir jogadores do Corinthians ou de qualquer time grande, como Palmeiras ou Tottenham, falando a favor do Bolsonaro, do autoritarismo”, afirmou.

Recentemente, o volante Felipe Melo, atualmente no Palmeiras e conhecido por seu futebol truculento, marcou um gol na partida contra o Bahia, válida pelo Campeonato Brasileiro e, no final da partida, em entrevista ao vivo no gramado da Fonte Nova, em Salvador, dedicou o gol que fez a Bolsonaro.

Semanas antes, outro jogador que divulgou seu apoio ao deputado militar foi o atacante Lucas Moura, do Tottenham, da Inglaterra, se juntando a um time que tem, além de Felipe Melo, o meia Jadson e o atacante Roger, ambos do Corinthians.