25 de junho de 2018, 18h42

Pastor visita Lula: “Ele quer a liberdade que tem direito e não prisão domiciliar”. Vídeo

Recado foi passado pelo pastor Ariovaldo Ramos, que visitou o ex-presidente nesta segunda-feira (25): ele comentou que Lula não se abalou com a manobra jurídica praticada pelo ministro Fachin

Foto: Eduardo Matysiak/Agência PT

Lula recebeu a visita do pastor Ariovaldo Ramos, da Frente de Evangélicos pelo Estado de Direito, nesta segunda-feira (25) e mandou um recado. Segundo Ramos, ele encontrou “um homem forte, resiliente, que sabe que está sofrendo perseguição política, que está absolutamente convicto da sua inocência e que tem na sua força a perspectiva de ver o povo brasileiro voltar a ter esperança”.

O pastor destacou que o ex-presidente “tem certeza da sua inocência, não quer indulto, não quer prisão domiciliar”. “Ele quer a liberdade que tem direito como uma pessoa que foi vitimada pela injustiça”, acrescentou.

“Conversamos muito sobre a situação do Brasil e entendemos que a única explicação para tudo isso é o ódio que a elite brasileira tem em relação ao pobre, porque ninguém pode dizer que um governo popular não cresceu, não melhorou, não construiu empresa, vida nova…”, continuou o líder religioso, que informou que “os eleitores evangélicos em favor do Lula estão crescendo cada dia mais, conscientes de que há uma perseguição política e não há provas”.

Em relação à manobra do ministro do STF, Edson Fachin, o pastor disse que isso não o abalou. “Continua firme no seu propósito, na sua consciência de servidor público, de alguém que serve à nação, aos pobres. Ele não se surpreende de estar ainda sob perseguição política”.