25 de março de 2018, 12h49

Patrícia Pillar declara voto em Ciro Gomes e diz que ele nunca foi machista

Em entrevista, a atriz rebateu as acusações de machismo que pesam contra seu ex-marido, que é pré-candidato à presidência pelo PDT

Em entrevista concedida ao jornal O Globo, publicada neste domingo (25), a atriz Patrícia Pillar esclareceu as acusações de machismo que pesam contra seu ex-marido, o pré-candidato à presidência Ciro Gomes (PDT). Em 2002, Ciro concorria ao Planalto e, em uma entrevista, ao ser perguntado sobre qual era o papel de sua esposa na sua campanha, respondeu: “O papel da minha esposa é dormir comigo”. Desde então, a pecha de machista persegue o pedetista.

“Convivi 17 anos com ele e ele nunca foi machista. Naquela campanha, ele era uma alternativa ao PT e ao PSDB, e estava super exposto, apanhando dos dois lados. Todas as entrevistas dele em que eu estava presente aparecia essa pergunta e sempre de forma provocativa. E, neste dia, já era a terceira ou quarta (…) Ele já tinha respondido que eu era sua companheira, que conversávamos sobre tudo, porque era isso mesmo, compartilhávamos um projeto de Brasil. Mas aí perdeu a paciência e deu aquela resposta infeliz”, explicou a atriz.

Em entrevista ao portal Metrópoles em fevereiro deste ano, o pré-candidato também comentou o episódio.

“Foi uma grande bobagem que eu fiz, há 16 anos atrás (sic), já me desculpei um milhão setecentas e oitenta e duas vezes. Isso tudo é fraude, tirar uma frase de contexto e botar na boca é porque não dá para dizer que eu sou ladrão, para dizer que eu sou incompetente, que não tenho respostas para o drama do emprego, do salário”, afirmou.

Divorciados desde 2011, Ciro e Patrícia mantém, até hoje, uma relação de amizade. Na mesma entrevista ao jornal O Globo, a atriz garantiu que seu voto na eleição deste ano é do ex-marido.

“Voto nele, claro. O panorama ainda está indefinido, mas não há a menor chance de o meu voto não ser dele”, disse.