10 de outubro de 2018, 18h12

PDT divulga “apoio crítico” à candidatura de Haddad

“Não faremos nenhuma reivindicação. Por isso que a gente fala que é o voto crítico. É voto sem participação em campanha”, disse Carlos Lupi, presidente do partido de Ciro Gomes

Foto: Fábio Martins

Como era esperado, o PDT anunciou oficialmente, nesta quarta-feira (10), “apoio crítico” a Fernando Haddad (PT) no segundo turno das eleições presidenciais, contra Jair Bolsonaro (PSL). A decisão foi divulgada por meio de uma nota da Executiva Nacional do partido.

“A Executiva Nacional do PDT, reunida nesta quarta-feira na sede nacional do partido, em Brasília, declara seu apoio crítico à candidatura de Fernando Haddad para evitar a vitória das forças mais reacionárias e atrasadas do Brasil e a derrocada da democracia”, diz a nota.

O presidente nacional do PDT, Carlos Lupi disse que Ciro Gomes não subirá em palanque e que o partido tomou uma “decisão Institucional”.

“Não faremos nenhuma reivindicação. Por isso que a gente fala que é o voto crítico. É voto sem participação em campanha. Não queremos, já está clara a nossa posição, a participação em nenhum governo se Fernando Haddad ganhar a eleição”, declarou. Lupi. E acrescentou: “Disseram que se ele ganhar vem golpe. Ele é o golpe”, se referindo a Bolsonaro.