Imprensa livre e independente
02 de julho de 2018, 19h41

Pela primeira vez, uma mulher governará a Cidade do México

Claudia Sheinbaum, 55, será a primeira mulher a governar a Ccapital mexicana, com status de Estado; ela é do mesmo partido do presidente eleito, Andrés Manuel López Obrador (AMLO)

Foto: Reprodução/Youtube Aos 55 anos, Claudia Sheinbaum, será a primeira mulher a governar a Cidade do México, que tem status de Estado, de acordo com informações preliminares do INE, que é o órgão eleitorial mexicano. Claudia é engenheira energética formada pela Universidade Nacional Autônoma do México, UNAM. Os dissidentes do Partido da Revolução Democrática, também de esquerda, fundaram o Morena, sigla de Claudia e do presidente eleito Andrés Manuel López Obrador (AMLO). A futura governadora ocupou o cargo de secretária de Meio Ambiente no momento em que o Obrador foi chefe de governo da Cidade do México, de 2000 a...

Foto: Reprodução/Youtube

Aos 55 anos, Claudia Sheinbaum, será a primeira mulher a governar a Cidade do México, que tem status de Estado, de acordo com informações preliminares do INE, que é o órgão eleitorial mexicano. Claudia é engenheira energética formada pela Universidade Nacional Autônoma do México, UNAM.

Os dissidentes do Partido da Revolução Democrática, também de esquerda, fundaram o Morena, sigla de Claudia e do presidente eleito Andrés Manuel López Obrador (AMLO). A futura governadora ocupou o cargo de secretária de Meio Ambiente no momento em que o Obrador foi chefe de governo da Cidade do México, de 2000 a 2005.

Antes dela, apenas uma outra mulher tinha exercido o cargo, porém, de forma temporária – Rosario Robles assumiu interinamente quando o socialista Cuauhtémoc Cárdenas estava em campanha eleitoral para a Presidência. Foi derrotado.

Veja também:  Colunista conversa com David Miranda

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum