20 de novembro de 2018, 11h05

Pelo Twitter, Eduardo Bolsonaro intimida jornalista e compara Folha de S.Paulo a papel higiênico

No mesmo tuíte, parlamentar chamou Alxandre Garcia, último porta-voz da Ditadura Militar e apresentador da TV Globo, de "brilhante". O jornalista foi indicado para comandar a comunicação do governo Jair Bolsonaro.

Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/ Agencia Brasil

O deputado federal reeleito, Eduardo Bolsonaro (PSL/SP), publicou em seu Twitter nesta segunda-feira (19) uma tentativa de intimidação da jornalista Mônica Bergamo e comparou o jornal Folha de S.Paulo a papel higiênico.

“A todo momento tentam criar intrigas e principalmente desgastar os filhos. Mas acredito que todos já sabem qual é a da @monicabergamo né? Se alguém ainda compra a Folha já pode economizar no papel higiênico”, tuitou o filho do presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL).

Fórum precisa ter um jornalista em Brasília em 2019. Será que você pode nos ajudar nisso? Clique aqui e saiba mais

A publicação foi uma resposta a um tuíte da jornalista, que divulgou a informação que Bolsonaro teria recebido a sugestão de colocar o jornalista Alexandre Garcia, da TV Globo, na comunicação de seu governo.

Apresentador da Globo, Garcia foi porta-voz do último presidente do período da ditadura militar do Brasil, general João Batista Figueiredo. No mesmo tuíte, ele foi chamado de “brilhante” por Eduardo.

“No mais, sigo leitor/seguidor do brilhante @alexandregarcia”.

Agora que você chegou ao final desse texto e viu a importância da Fórum, que tal apoiar a criação da sucursal de Brasília? Clique aqui e saiba mais