Imprensa livre e independente
07 de março de 2018, 21h05

Perícia da PF confirma que material da Suíça não prova nada contra Lula, diz advogado

Cristiano Zanin, advogado de Lula, informou que vai recorrer da decisão do TRF4 no julgamento de uma Correição Parcial pois perícia feita na Suíça não prova nada contra o ex-presidente

O advogado Cristiano Zanin Martins, que defende o ex-presidente Lula, informou que a defesa vai recorrer da decisão proferida nesta quarta-feira (7) pelo Tribunal Regional Federal da 4ª. Região (TRF4) no julgamento de uma Correição Parcial que visa incluir “dispositivos eletrônicos” da Odebrecht que comprovariam o pagamento de propina. O juiz Sérgio Moro havia autorizado a inclusão de dados complementares sobre o sistema Drousys, encaminhados por autoridades suíças, em uma perícia que já estava sendo feita pela Polícia Federal. A perícia, no entanto, não conseguiu comprovar nada que incrimine o ex-presidente Lula. “Estes ‘dispositivos eletrônicos’ também foram examinados pela Polícia...

O advogado Cristiano Zanin Martins, que defende o ex-presidente Lula, informou que a defesa vai recorrer da decisão proferida nesta quarta-feira (7) pelo Tribunal Regional Federal da 4ª. Região (TRF4) no julgamento de uma Correição Parcial que visa incluir “dispositivos eletrônicos” da Odebrecht que comprovariam o pagamento de propina.

O juiz Sérgio Moro havia autorizado a inclusão de dados complementares sobre o sistema Drousys, encaminhados por autoridades suíças, em uma perícia que já estava sendo feita pela Polícia Federal. A perícia, no entanto, não conseguiu comprovar nada que incrimine o ex-presidente Lula.

“Estes ‘dispositivos eletrônicos’ também foram examinados pela Polícia Federal no laudo entregue no último dia 23/02, que desmontou a acusação do Ministério Público Federal contra Lula ao deixar de identificar qualquer elemento que possa vincular o ex-presidente a valores provenientes de contratos firmados pela Petrobras, ao sistema de contabilidade paralela da Odebrecht ou, ainda, aos imóveis indicados na denúncia”, diz, em nota, a defesa do petista.

O advogado Cristiano Zanin ressaltou que, “no mesmo laudo, os peritos também constataram que o material encaminhado pela Suíça contém os mesmos elementos presentes em outros dispositivos analisados e em relação aos quais houve a constatação de ‘destruição deliberada de dados’ (p. 301), além de manipulação de conteúdo”.

Veja também:  Anvisa aprova propostas que podem liberar cultivo de maconha para fins medicinais e científicos

Confira, abaixo, a íntegra da nota da defesa.

Recorreremos da decisão proferida hoje (07/03) pelo Tribunal Regional Federal da 4ª. Região (TRF4) no julgamento da Correição Parcial nº 50716793020174040000. O TRF4 confirmou a decisão do juiz Sérgio Moro que ampliou prova pericial sobre os sistemas da Odebrecht para incluir “dispositivos eletrônicos” provenientes da Suíça desconhecidos pela defesa e que foram apresentados após término da fase de coleta de provas do processo.

Além disso, estes “dispositivos eletrônicos” também foram examinados pela Polícia Federal no laudo entregue no último dia 23/02, que desmontou a acusação do Ministério Público Federal contra Lula ao deixar de identificar qualquer elemento que possa vincular o ex-presidente a valores provenientes de contratos firmados pela Petrobras, ao sistema de contabilidade paralela da Odebrecht ou, ainda, aos imóveis indicados na denúncia.

No mesmo laudo, os peritos também constataram que o material encaminhado pela Suíça contém os mesmos elementos presentes em outros dispositivos analisados e em relação aos quais houve a constatação de “destruição deliberada de dados” (p. 301), além de manipulação de conteúdo.

A defesa do ex-presidente Lula está com prazo em curso para analisar o laudo da Polícia Federal. Os peritos da defesa poderão acrescentar outros elementos para reforçar que o material analisado, além de não comprovar qualquer acusação contra Lula, não é idôneo”.

CRISTIANO ZANIN MARTINS

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum