27 de janeiro de 2018, 10h41

Pesquisa da FGV indica que, mesmo condenado, Lula saiu vitorioso no debate sobre o tema no Twitter

Julgamento gerou, apenas naquela data, 1,21 milhão de menções e 44,1% delas foram favoráveis ao ex-presidente; grupo de oposição ao petista respondeu por 35,4% das interações, enquanto os demais não se posicionaram contra ou a favor.

Julgamento gerou, apenas naquela data, 1,21 milhão de menções e 44,1% delas foram favoráveis ao ex-presidente; grupo de oposição ao petista respondeu por 35,4% das interações, enquanto os demais não se posicionaram contra ou a favor. Da Redação* Pesquisa do Departamento de Análise de Políticas Públicas da Fundação Getúlio Vargas (Daap/FGV) mostrou que, embora condenado pelo TRF-4, o ex-presidente Lula saiu vitorioso no debate sobre o assunto no Twitter. O tema gerou, apenas naquela data, 1,21 milhão de menções e 44,1% delas foram favoráveis ao ex-presidente. O grupo de oposição ao principal líder do PT respondeu por 35,4% das interações. Os demais...

Julgamento gerou, apenas naquela data, 1,21 milhão de menções e 44,1% delas foram favoráveis ao ex-presidente; grupo de oposição ao petista respondeu por 35,4% das interações, enquanto os demais não se posicionaram contra ou a favor.

Da Redação*

Pesquisa do Departamento de Análise de Políticas Públicas da Fundação Getúlio Vargas (Daap/FGV) mostrou que, embora condenado pelo TRF-4, o ex-presidente Lula saiu vitorioso no debate sobre o assunto no Twitter. O tema gerou, apenas naquela data, 1,21 milhão de menções e 44,1% delas foram favoráveis ao ex-presidente. O grupo de oposição ao principal líder do PT respondeu por 35,4% das interações. Os demais não se posicionaram contra ou a favor de Lula

A equipe interdisciplinar do Daap, responsável pelo monitoramento, concluiu que “o julgamento do ex-presidente Lula foi o evento político de maior magnitude nas redes”, desde a abertura do processo de impeachment da então presidenta Dilma Rousseff, em abril de 2016. Naquela oportunidade, o debate no Twitter deu origem a mais de 1,5 milhão de menções em 24 horas.

A análise mostrou ainda que 5,5% das interações no campo de oposição e 5,1% no grupo de apoio ao petista foram movimentadas por robôs, isto é, por perfis falsos manipulados por pessoas ou entidades interessadas em amplificar artificialmente sua voz na grande rede. Em relatório, o Dapp alerta que “a presença detectada de robôs aponta para uma forte utilização dos mesmos durante as eleições, com potencial para controvérsias e questionamentos, a exemplo do ocorrido em outros países”.

*Com informações do Congresso em Foco e do Brasil 247

Foto: TRF-4