08 de fevereiro de 2019, 15h20

Pet Shop Boys ridicularizam Trump na canção “Dê uma chance à estupidez”

Toda construída em tom de ironia, a canção clama por um mundo mais auto-centrado e com menos preocupação com o "politicamente correto"

Foto: Joseph Sinclair/Divulgação
O duo inglês Pet Shop Boys apresentou, nesta sexta (8), a canção “Give Stupidity a Chance” (Dê uma chance à estupidez), que ridiculariza o presidente americano Donald Trump e o político conservador inglês Michael Gove. Toda construída em tom de ironia, a canção clama por um mundo mais auto-centrado e com menos preocupação com o “politicamente correto”. Logo no seu segundo verso, a canção dá uma estocada na afirmação de Gove, logo após a eleição que determinou a saída do Reino Unido da União Europeia, o Brexit, de que “as pessoas nesse país já estão cansadas de especialistas”. “As pessoas inteligentes...

O duo inglês Pet Shop Boys apresentou, nesta sexta (8), a canção “Give Stupidity a Chance” (Dê uma chance à estupidez), que ridiculariza o presidente americano Donald Trump e o político conservador inglês Michael Gove.

Toda construída em tom de ironia, a canção clama por um mundo mais auto-centrado e com menos preocupação com o “politicamente correto”.

Logo no seu segundo verso, a canção dá uma estocada na afirmação de Gove, logo após a eleição que determinou a saída do Reino Unido da União Europeia, o Brexit, de que “as pessoas nesse país já estão cansadas de especialistas”.

“As pessoas inteligentes já tiveram a palavra/ É hora de os tolos mostrarem o caminho/ Já tivemos o bastante de especialistas e suas conversas/ Por que focar em fatos quando podemos apenas sentir o sentimento?”, diz a letra cantada por Neil Tennant.

Logo a seguir, em referência a Trump, que já enfrentou inúmeras acusações de assédio sexual e abuso e já afirmou que se sentia o direito de “pegar mulheres pela xoxota”.

“Garotas estão sempre querendo/ Você tem de agarrar o que puder/ Precisamos de um líder que saiba que dinheiro significa classe/ E com um bom olho para uma bunda perfeita”, em referência a Trump.

Com informações da Folha