Imprensa livre e independente
17 de fevereiro de 2019, 10h39

Petição pela saída de ministro do Meio Ambiente já tem quase 300 mil assinaturas

Ricardo Salles foi condenado por improbidade administrativa e teve os direitos políticos suspensos por três anos

Foto: Reprodução/TV Cultura
A petição “Queremos a saída de Ricardo Salles” conta, até o momento, com 285.344 assinaturas. O ministro do Meio Ambiente é mais uma das figuras do primeiro escalão do governo de Jair Bolsonaro que tem se notabilizado pelas declarações polêmicas e problemas com a justiça. Salles foi condenado por improbidade administrativa e teve os direitos políticos suspensos por três anos. A sentença, proferida pelo juiz Fausto José Martins Seabra, determina ainda o pagamento de uma multa e a “proibição de contratar com o Poder Público ou receber benefícios ou incentivos fiscais ou creditícios”. A condenação é resultado de uma ação...

A petição “Queremos a saída de Ricardo Salles” conta, até o momento, com 285.344 assinaturas. O ministro do Meio Ambiente é mais uma das figuras do primeiro escalão do governo de Jair Bolsonaro que tem se notabilizado pelas declarações polêmicas e problemas com a justiça.

Salles foi condenado por improbidade administrativa e teve os direitos políticos suspensos por três anos. A sentença, proferida pelo juiz Fausto José Martins Seabra, determina ainda o pagamento de uma multa e a “proibição de contratar com o Poder Público ou receber benefícios ou incentivos fiscais ou creditícios”.

A condenação é resultado de uma ação civil pública ambiental e de improbidade administrativa, movida pelo Ministério Público de São Paulo em maio de 2018. Salles ocupava então o cargo de secretário estadual do Meio Ambiente do governo de Geraldo Alckmin (PSDB).

A ação está hoje no Supremo tribuna Federal (STF), pois Salles ganhou foro privilegiado. Por isso, ele continua como ministro.

Na última semana, Salles provocou nova polêmica ao afirmar, durante entrevista no programa “Roda Viva”, exibido pela TV Cultura, que nunca tinha visitado a Amazônia e não conhecia Chico Mendes. Disse, ainda, que ouviu de gente “do agronegócio” que a principal referência ambiental da Amazônia era um aproveitador que “usava os seringueiros”.

Veja também:  Surpreso com grau de promiscuidade entre Moro e investigadores, Lula diz que "a verdade fica doente, mas não morre"

Nossa sucursal em Brasília já está em ação. A Fórum é o primeiro veículo a contratar jornalistas a partir de financiamento coletivo. E para continuar o trabalho precisamos do seu apoio. Saiba mais.

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum