22 de fevereiro de 2019, 09h35

PF agora investiga se fala de Lula influenciou “invasão” de triplex atribuído a ele

Em mais uma frente da lawfare, a guerra judicial para perseguição política, a Polícia Federal agora investiga se uma fala de Lula teria influenciado ativistas do MTST a invadirem o chamado "triplex do Guarujá". Embora o imóvel fosse atribuído a ele, a investigação apura se houve esbulho possessório, quando se invade “terreno ou edifício alheio”

Ocupação do Tríplex. Foto: MTST
Em mais uma frente da lawfare, a guerra judicial para perseguição política, a Polícia Federal agora investiga se uma fala do ex-presidente Lula teria influenciado ativistas do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST) a “invadirem” o chamado “triplex do Guarujá”. Blog do Rovai: O vídeo do MTST dentro do triplex que levou Lula para a cadeia precisa rodar o mundo Segundo coluna de Mônica Bergamo, na edição desta sexta-feira (22) da Folha de S.Paulo, Lula deve ser ouvido na próxima terça-feira (26) pela PF no inquérito que apura a ocupação, pelo MTST, do apartamento atribuído a ele. O ex-presidente, que...

Em mais uma frente da lawfare, a guerra judicial para perseguição política, a Polícia Federal agora investiga se uma fala do ex-presidente Lula teria influenciado ativistas do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST) a “invadirem” o chamado “triplex do Guarujá”.

Blog do Rovai: O vídeo do MTST dentro do triplex que levou Lula para a cadeia precisa rodar o mundo

Segundo coluna de Mônica Bergamo, na edição desta sexta-feira (22) da Folha de S.Paulo, Lula deve ser ouvido na próxima terça-feira (26) pela PF no inquérito que apura a ocupação, pelo MTST, do apartamento atribuído a ele. O ex-presidente, que foi condenado pela posse do imóvel sem nenhuma prova, já estava preso quando o ato ocorreu.

Embora o imóvel fosse atribuído a ele, a investigação apura se houve esbulho possessório, quando se invade “terreno ou edifício alheio”. A pena é de até seis meses de detenção. E multa.

Num discurso antes de ser preso, Lula afirmou que tinha sido condenado por um “desgraçado de um apartamento que eu não tenho”. E afirmou que já tinha pedido “para o Guilherme Boulos (líder do MTST) mandar o pessoal dele ocupar” o imóvel.

Nossa sucursal em Brasília já está em ação. A Fórum é o primeiro veículo a contratar jornalistas a partir de financiamento coletivo. E para continuar o trabalho precisamos do seu apoio. Saiba mais.