08 de junho de 2015, 11h15

PM se recusa a atender ocorrência em Porto Alegre: “Chamem o Batman”

Comandante da Brigada Militar recebeu, via WhatsApp, denúncias de que assaltos estariam ocorrendo em um evento realizado no Parque da Redenção, um dos mais tradicionais da cidade. "Gente do bem está em casa agora! (...) Então que saiam dali. Eu não aconselho a ficar ali", respondeu.

Comandante da Brigada Militar recebeu, via WhatsApp, denúncias de que assaltos estariam ocorrendo em um evento realizado no Parque da Redenção, um dos mais tradicionais da cidade. “Gente do bem está em casa agora! (…) Então que saiam dali. Eu não aconselho a ficar ali”, respondeu

Por Redação*

Comandante do 9º Batalhão da Brigada Militar em Porto Alegre (RS), o tenente-coronel Francisco Vieira se envolveu em uma polêmica na noite do último sábado (6). Ao receber, em um grupo de WhatsApp, denúncias de que assaltos estariam ocorrendo em um evento realizado no Parque da Redenção, um dos mais tradicionais da cidade, ele respondeu que “quem frequenta esse tipo de evento não quer BM [Brigada Militar] perto”. “Agora aguentem! Chamem o Batman! Ou o super homem (sic)”, completou (confira abaixo).

Os jornalistas presentes no grupo relataram que havia apenas uma viatura da Brigada Militar fazendo o policiamento do local, sendo que, somente no Facebook, 22 mil pessoas haviam confirmado presença no evento cultural, cujo objetivo é discutir a ocupação do espaço público. Vieira disse que a festa não tinha permissão para ocorrer e que seus frequentadores não queriam a presença dos militares. “Gente do bem está em casa agora! (…) Então que saiam dali. Eu não aconselho a ficar ali”, escreveu.

As mensagens vazaram e causaram constrangimento à corporação, que rapidamente se manifestou sobre o assunto. No domingo (7), o responsável pelo policiamento de Porto Alegre, tenente-coronel Mário Ikeda, disse ao jornal Zero Hora que a resposta foi equivocada e não representa um posicionamento oficial da instituição. Após a confusão, Vieira voltou atrás: “Prezados, espero que entendam o que quis dizer em uma conversa informal antes. A BM nunca se negou e nunca se negará a atender qualquer ocorrência. Somente que deve ser usado o canal formal: 190”, afirmou.

A repercussão do episódio foi tão grande que até a deputada Maria do Rosário (PT-RS) se pronunciou sobre o assunto:

Espaço público seguro é o utilizado pela população Na noite passada Porto Alegre recebeu mais uma bela edição da…

Posted by Maria Do Rosário Nunes on Domingo, 7 de junho de 2015


*Com informações do Brasil Post e Zero Hora