12 de fevereiro de 2019, 16h19

Polícia Federal convoca candidata laranja do PSL para depor em investigação

Maria de Lourdes Paixão, de 68 anos, teve somente 274 votos, mas foi a terceira maior beneficiada com verba do PSL, à frente, inclusive, do próprio Jair Bolsonaro

Luciano Bivar, atual presidente do PSL - Foto: Agência Brasil
A Polícia Federal convocou para depor Maria de Lourdes Paixão, uma candidata a deputada federal usada como laranja pelo PSL, partido de Jair Bolsonaro, de acordo com informações de João Valadares e Camila Mattoso, da Folha de S.Paulo. O grupo de Luciano Bivar (PE), atual presidente do PSL, e recém-eleito segundo vice-presidente da Câmara dos Deputados, criou uma candidata laranja em Pernambuco, que recebeu do partido R$ 400 mil de dinheiro público nas últimas eleições. Maria de Lourdes, de 68 anos, oficialmente concorreu à vaga na Câmara e recebeu somente 274 votos. Apesar disso, foi a terceira maior beneficiada com verba...

A Polícia Federal convocou para depor Maria de Lourdes Paixão, uma candidata a deputada federal usada como laranja pelo PSL, partido de Jair Bolsonaro, de acordo com informações de João Valadares e Camila Mattoso, da Folha de S.Paulo.

O grupo de Luciano Bivar (PE), atual presidente do PSL, e recém-eleito segundo vice-presidente da Câmara dos Deputados, criou uma candidata laranja em Pernambuco, que recebeu do partido R$ 400 mil de dinheiro público nas últimas eleições.

Maria de Lourdes, de 68 anos, oficialmente concorreu à vaga na Câmara e recebeu somente 274 votos. Apesar disso, foi a terceira maior beneficiada com verba do PSL em todo o país, mais do que o próprio presidente Bolsonaro e a deputada Joice Hasselmann (SP), que teve mais um milhão de votos.

O dinheiro do fundo partidário do PSL foi enviado pela direção nacional do partido para a conta de Maria de Lourdes no dia 3 de outubro, quatro dias antes da eleição.

Mesmo sendo uma das que mais receberam verba pública no PSL, Maria de Lourdes recebeu uma votação que representa um indicativo de candidatura de fachada, ou seja, há simulação de atos de campanha, mas sem empenho efetivo na busca de votos.

Maria de Lourdes vai depor na superintendência da PF no Recife às 11 horas desta quinta-feira (14).

Material de campanha?

Dos R$ 400 mil recebidos do partido, Maria de Lourdes Paixão disse, a princípio, que teria gastado R$ 380 mil em uma gráfica a apenas quatro dias da eleição.

No imóvel informado na Receita, ao contrário do que havia dito Luciano Bivar, não há máquinas para impressão de material de campanha.

Nossa sucursal em Brasília já está em ação. A Fórum é o primeiro veículo a contratar jornalistas a partir de financiamento coletivo. E para continuar o trabalho precisamos do seu apoio. Saiba mais.