Imprensa livre e independente
19 de abril de 2019, 16h26

Político de Santos flagrado em áudio racista pede exoneração do cargo

Adilson Durante Filho, secretário-adjunto de Turismo de Santos (SP), afirmou, entre outras frases racistas, que “os pardos brasileiros são todos mau-caráter”

Reprodução/YouTube
A prefeitura de Santos (SP) informou através de nota enviada à imprensa, na tarde desta sexta-feira (19), que Adilson Durante Filho (PSD), que atuava até então como secretário-adjunto de Turismo da cidade, pediu exoneração do cargo. O político, que também é conselheiro e foi diretor de futebol do Santos Futebol Clube, foi flagrado em um áudio que vazou nas redes sociais nesta quinta-feira (18) afirmando, entre outras frases racisitas, que “os pardos brasileiros são todos mau-caráter”. “Ô Caco, vou falar uma coisa pra vocês, aqui a gente tá entre amigos, tá? Sempre que tiver um pardo, o pardo o que que é, não...

A prefeitura de Santos (SP) informou através de nota enviada à imprensa, na tarde desta sexta-feira (19), que Adilson Durante Filho (PSD), que atuava até então como secretário-adjunto de Turismo da cidade, pediu exoneração do cargo.

O político, que também é conselheiro e foi diretor de futebol do Santos Futebol Clube, foi flagrado em um áudio que vazou nas redes sociais nesta quinta-feira (18) afirmando, entre outras frases racisitas, que “os pardos brasileiros são todos mau-caráter”.

“Ô Caco, vou falar uma coisa pra vocês, aqui a gente tá entre amigos, tá? Sempre que tiver um pardo, o pardo o que que é, não é aquele negão, né? Mas também não é o branquinho. É o moreninho da cor dele. Esses caras, têm que desconfiar de todos. Todos que tu conhecer. Essa cor é uma mistura de uma raça que não tem caráter. É verdade, isso é estudo. Todo pardo, todo mulato, tu tem que tomar cuidado. Não mulato tipo o Pedro. O Pedro é tipo pra índio. Tipo chileno, essas porra (SIC). Tô dizendo o mulato brasileiro, entendeu? Os pardos brasileiros são todos mau-caráter. Não tem um que não seja”, disparou.

Veja também:  Acusado de matar Marielle, vizinho de Bolsonaro tinha facilidades para importar armas como "colecionador e atirador"

A declaração gerou reação tanto por parte do prefeito do município, Paulo Alexandre Barbosa (PSDB), quanto do Santos Futebol Clube.

Em nota, Barbosa disse que manifesta “repúdio a qualquer manifestação que defenda ou propague preconceitos de origem, raça, sexo, cor, idade e quaisquer outras formas de discriminação, independentemente dos meios, circunstâncias ou período de tempo que ocorra. Sempre será e deve ser absolutamente condenada”, informando ainda que Adilson seria afastado do cargo.

O clube de futebol, por sua vez, lembrou, também atrav és de nota, que o time tem uma trajetória de combate ao racismo e  que “é muito triste que tantas décadas depois tenhamos de vir a público reafirmar nosso absoluto repúdio a qualquer forma de discriminação e racismo”.

Fórum em Brasília, apoie a Sucursal

Fórum tem investido cada dia mais em jornalismo. Neste ano inauguramos uma Sucursal em Brasília para cobrir de perto o governo Bolsonaro e o Congresso Nacional. A Fórum é o primeiro veículo a contratar jornalistas a partir de financiamento coletivo. E para continuar o trabalho precisamos do seu apoio. Clique no link abaixo e faça a sua doação.

Apoie a Fórum