Imprensa livre e independente
14 de dezembro de 2018, 10h44

PR espera abrir brecha na lei para assumir diretoria da Caixa

Partido quer emplacar o deputado não reeleito Milton Monti. Lei proíbe a indicação de políticos para conselhos e diretorias das empresas

Milton Monti. Foto: Câmara
O PR se movimenta no Congresso para abrir uma brecha na Lei das Estatais e ocupar cargos no governo Jair Bolsonaro (PSL). O partido negocia com o futuro ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, para emplacar o deputado Milton Monti (SP) para uma vice-presidência da Caixa Econômica Federal. O negócio é bom. O deputado, que está concluindo o quinto mandato na Câmara e não se reelegeu, ficaria responsável pelo relacionamento com estados, municípios e estatais que têm financiamento do banco. Fórum precisa ter um jornalista em Brasília em 2019. Será que você pode nos ajudar nisso? Clique aqui e saiba mais O entrave, no entanto,...

O PR se movimenta no Congresso para abrir uma brecha na Lei das Estatais e ocupar cargos no governo Jair Bolsonaro (PSL). O partido negocia com o futuro ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, para emplacar o deputado Milton Monti (SP) para uma vice-presidência da Caixa Econômica Federal.

O negócio é bom. O deputado, que está concluindo o quinto mandato na Câmara e não se reelegeu, ficaria responsável pelo relacionamento com estados, municípios e estatais que têm financiamento do banco.

Fórum precisa ter um jornalista em Brasília em 2019. Será que você pode nos ajudar nisso? Clique aqui e saiba mais

O entrave, no entanto, é complicado. A Lei das Estatais proíbe a indicação de políticos para conselhos e diretorias das empresas.

Integrantes da equipe de transição temem complicações jurídicas mesmo se a nomeação ocorrer após o fim do mandato, porque a lei também barra pessoas que trabalharam para campanhas nos últimos três anos.

Há, no entanto, uma brecha. Em novembro, a Câmara aprovou projeto que elimina essa restrição, mas o Senado resiste à medida. Aliados de Bolsonaro dizem que a mudança interessa ao novo governo e que tentarão convencer o Senado a aprová-la.

Veja também:  Falta de articulação com o Congresso pode deixar governo sem dinheiro para o Bolsa Família

Apontado como suspeito de corrupção passiva, ativa e de lavagem de dinheiro

O deputado Milton Monti foi apontado, em 2017, como suspeito de corrupção passiva, ativa e de lavagem de dinheiro, tendo recebido propina da Odebrecht na execução da Ferrovia Norte-Sul, em 2008 e 2009, segundo inquérito autorizado pelo ministro Edson Fachin, relator da Lava Jato no Supremo Tribunal Federal (STF).

As informações são do Painel, da Folha

Agora que você chegou ao final desse texto e viu a importância da Fórum, que tal apoiar a criação da sucursal de Brasília? Clique aqui e saiba mais

Fórum em Brasília, apoie a Sucursal

Fórum tem investido cada dia mais em jornalismo. Neste ano inauguramos uma Sucursal em Brasília para cobrir de perto o governo Bolsonaro e o Congresso Nacional. A Fórum é o primeiro veículo a contratar jornalistas a partir de financiamento coletivo. E para continuar o trabalho precisamos do seu apoio. Clique no link abaixo e faça a sua doação.

Apoie a Fórum