19 de setembro de 2018, 18h35

Prefeito tucano de Manaus diz que Alckmin não é seu candidato e se recusa a recebê-lo

Candidato do PSDB à presidência tentou incluir a capital do Amazonas em sua agenda de campanha, mas teria recebido a seguinte resposta de Arthur Virgílio: “Não venha”

Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

Geraldo Alckmin não consegue convencer nem a totalidade dos tucanos. Arthur Virgílio (PSDB), prefeito de Manaus (AM), declarou, em um ato político, na noite de terça-feira (18), que o ex-governador de São Paulo não é seu candidato à presidência da República. Antes oficialização dos nomes, Virgílio havia pleiteado disputar as prévias do partido, mas desistiu da ideia. O prefeito de Manaus afirmava que Alckmin estava falido eleitoralmente e não chegaria aos dois dígitos nas pesquisas. As informações são do blog de Josias de Souza, no UOL.

Alckmin ainda tentou incluir Manaus em sua agenda de campanha e teria solicitado auxílio de Virgílio para tentar avançar nas pesquisas no estado. No entanto, geria ouvido a seguinte resposta: “Não venha”.

Além da briga recente, Virgílio relembrou durante o processo um velho conflito entre ambos. De acordo com ele, Alckmin, quando era governador de São Paulo, ajuizou no Supremo Tribunal Federal (STF) duas ações diretas de inconstitucionalidade prejudiciais aos interesses do polo industrial de Manaus. “Ele não é a favor do meu estado. Apoiá-lo seria como trair a minha terra”, afirmou.