COMPRE JÁ
22 de Fevereiro de 2018, 08h49

Professor de disciplina sobre o golpe de 2016 emite nota. Leia aqui

Para ele, "trata-se de uma disciplina corriqueira, de interpelação da realidade à luz do conhecimento produzido nas ciências sociais, que não merece o estardalhaço artificialmente criado sobre ela"

Professor de disciplina sobre o golpe de 2016 emite nota. Leia aqui

O professor Luis Felipe Miguel, da Universidade de Brasília (UNB) emitiu nota nesta quarta-feira (22), através da assessoria de imprensa da universidade, onde comenta a polêmica em torno da nova disciplina que ministrará: “O Golpe de 2016 e o futuro da democracia no Brasil”.

O ministro da Educação, Mendonça Filho, em um gesto que atropela a autonomia universitária, informou na tarde desta quarta-feira, que vai entrar com uma ação em diversos órgãos de controle para impedir que a disciplina seja ministrada.

Nota do professor Luis Felipe Miguel

Um site aqui de Brasília publicou a ementa da minha disciplina sobre o golpe e vários jornais correram à UnB para pedir posição sobre este “absurdo” – começando pelo pasquim fascistoide do Paraná, especializado no ataque à universidade pública.

Não vejo nenhum sentido em alimentar a falsa polêmica que querem abrir. Pedi à assessoria de comunicação da universidade que encaminhasse, de minha parte, apenas a seguinte observação:

Trata-se de uma disciplina corriqueira, de interpelação da realidade à luz do conhecimento produzido nas ciências sociais, que não merece o estardalhaço artificialmente criado sobre ela. A única coisa que não é corriqueira é a situação atual do Brasil, sobre a qual a disciplina se debruçará. De resto, na academia é como no jornalismo: o discurso da “imparcialidade” é muitas vezes brandido para inibir qualquer interpelação crítica do mundo e para transmitir uma aceitação conservadora da realidade existente. A disciplina que estou oferecendo se alinha com valores claros, em favor da liberdade, da democracia e da justiça social, sem por isso abrir mão do rigor científico ou aderir a qualquer tipo de dogmatismo. É assim que se faz a melhor ciência e que a universidade pode realizar seu compromisso de contribuir para a construção de uma sociedade melhor.