24 de janeiro de 2018, 14h18

Professores da USP processam Janaina Paschoal por danos morais

Após ser reprovada em concurso em último lugar, Janaina acusou presidente da banca de fraude nas redes sociais

Após ser reprovada em concurso em último lugar, Janaina acusou presidente da banca de fraude nas redes sociais Da Redação* Reprovada em último lugar em concurso da Universidade de São Paulo (USP), a professora associada da instituição e uma das autoras do pedido de impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff, Janaina Paschoal, será processada por danos morais por dois colegas envolvidos no evento. Ajude a Fórum a fazer a cobertura do julgamento do Lula. Clique aqui e saiba mais. O professor Sérgio Salomão Shecaira, chefe do Departamento de Direito Penal da USP, acionou a Justiça em busca de reparação pelos danos morais...

Após ser reprovada em concurso em último lugar, Janaina acusou presidente da banca de fraude nas redes sociais

Da Redação*

Reprovada em último lugar em concurso da Universidade de São Paulo (USP), a professora associada da instituição e uma das autoras do pedido de impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff, Janaina Paschoal, será processada por danos morais por dois colegas envolvidos no evento.

Ajude a Fórum a fazer a cobertura do julgamento do Lula. Clique aqui e saiba mais.

O professor Sérgio Salomão Shecaira, chefe do Departamento de Direito Penal da USP, acionou a Justiça em busca de reparação pelos danos morais que alega ter sofrido em razão das manifestações públicas da advogada Janaina. Após ser reprovada em concurso para professora titular da universidade, em banca presidida por Shecaira, Janaina o acusou de fraude nas redes sociais.

De acordo com a peça enviada à Justiça por Shecaira, Janaina insinuou que ele teria beneficiado o vencedor do concurso, Alamiro Velludo Salvador Netto, pelo fato de terem, segundo a professora, “relação estreita”. Acusado de plágio por Janaina, Netto também quer indenizações por danos morais. Cada um atribuiu à causa o valor de R$ 38 mil, segundo as petições assinadas pelos advogados Fernando Gaspar Neisser e Paula Bernardelli.

*Com informações da coluna Expresso, da Época

Foto: Reprodução