26 de novembro de 2018, 15h43

Professores defendem revogação da PEC 95 e rechaçam “Escola sem Partido” durante a Conae

Diretrizes para os próximos quatro anos foram elaboradas em documento na 3ª Conferência Nacional de Educação (Conae)

Foto: TVT/Reprodução

Aproximadamente 1.500 professores e profissionais do setor de inúmeros estados do Brasil defenderam a revogação imediata da Emenda Constitucional (EC) 95, a que institui o Teto de Gastos. O texto, definindo objetivos e recomendações para a educação no Brasil, foi produzido na 3ª Conferência Nacional de Educação (Conae), de acordo com informações da RBA.

Segundo os educadores, a lei que congela os gastos nas áreas sociais por um período de 20 anos tem retirado investimentos do setor público, impedindo a valorização de profissionais da área. “Nós não vamos ter uma educação que cresça, construa e que faça com que nosso educando também cresça e construa o seu entendimento e aprendizagem sem que nós passemos pela questão da valorização”, destaca a professora, delegada da Conae pelo Acre (AC), Ana Abreu, ao repórter Uélson Kalinovski, do Seu Jornal, da TVT.

Fórum precisa ter um jornalista em Brasília em 2019. Será que você pode nos ajudar nisso? Clique aqui e saiba mais

No texto, os educadores ressaltaram a necessidade da inclusão social com foco nas minorias e, ao final da conferência, protestaram contra o Projeto de Lei (PL) 7180/2014 que trata da “Escola sem Partido”, a chamada Lei da Mordaça, que tramita na Câmara dos Deputados e pode ser votada nesta semana em comissão.