23 de janeiro de 2018, 15h19

PSB, que apoiou impeachment de Dilma, defende direito de Lula ser candidato

Embora tenha concordado com o golpe de 2016, o partido divulgou nota condenando a manipulação do Poder Judiciário para impedir que a candidatura do ex-presidente.

Embora tenha concordado com o golpe de 2016, o partido divulgou nota condenando a manipulação do Poder Judiciário para impedir que a candidatura do ex-presidente. Da Redação* Apesar de ter apoiado o impeachment da ex-presidenta Dilma Rousseff, o PSB divulgou nota nesta terça-feira (23), em que condena a manipulação do Poder Judiciário para impedir que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva seja candidato em 2018. Ou seja: mais uma força política alerta o TRF-4 para os riscos de se destruir a democracia brasileira a partir de uma condenação sem provas. Ajude a Fórum a fazer a cobertura do julgamento...

Embora tenha concordado com o golpe de 2016, o partido divulgou nota condenando a manipulação do Poder Judiciário para impedir que a candidatura do ex-presidente.

Da Redação*

Apesar de ter apoiado o impeachment da ex-presidenta Dilma Rousseff, o PSB divulgou nota nesta terça-feira (23), em que condena a manipulação do Poder Judiciário para impedir que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva seja candidato em 2018. Ou seja: mais uma força política alerta o TRF-4 para os riscos de se destruir a democracia brasileira a partir de uma condenação sem provas.

Ajude a Fórum a fazer a cobertura do julgamento do Lula. Clique aqui e saiba mais.

“A rapidez da justiça é o direito que assiste a toda a população, mas, superar em um caso específico, a morosidade habitual, terminou por criar um fato político”, diz o texto assinado pelo presidente nacional do PSB, Carlos Siqueira (foto).

De acordo com a nota, “o tribunal político mais adequado, em uma democracia, é o voto popular, em eleições livres – avaliação essa que é comum, no presenta caso, à maioria das forças políticas responsáveis, independentemente do seu espectro ideológico”.

“Uma solução política, por meio das urnas, que se viabilize, respeitando de modo estrito a legalidade, é condição necessária para que o País supere a crise política que vivencia há pelo menos três anos”.

*Com informações do Brasil 247

Foto: Humberto Pradera/Divulgação