16 de agosto de 2018, 10h54

PT e PCdoB registram coligação no Amazonas

Presidente estadual do PCdoB, Eron Bezerra disse que as tratativas para a formação de uma ampla aliança continuam - o PT já havia formalizado a coligação com o PSB, que tem o nome de David Almeida ao governo

O PCdoB e o PT registraram nesta quarta-feira (15), no Tribunal Regional Eleitoral (TRE) do Amazonas, a coligação “O Povo Feliz de Novo” com a senadora Vanessa Grazziotin candidata à reeleição. Já o PT terá a prerrogativa de indicar o candidato ao governo. O PCdoB também colocou à disposição o nome da ex-vereadora Lúcia Antony para cabeça de chapa. Presidente estadual do PCdoB, Eron Bezerra disse que as tratativas para a formação de uma ampla aliança continuam – o PT já havia formalizado a coligação com o PSB, que tem o nome de David Almeida ao governo. “Ainda temos a expectativa...

O PCdoB e o PT registraram nesta quarta-feira (15), no Tribunal Regional Eleitoral (TRE) do Amazonas, a coligação “O Povo Feliz de Novo” com a senadora Vanessa Grazziotin candidata à reeleição. Já o PT terá a prerrogativa de indicar o candidato ao governo. O PCdoB também colocou à disposição o nome da ex-vereadora Lúcia Antony para cabeça de chapa.

Presidente estadual do PCdoB, Eron Bezerra disse que as tratativas para a formação de uma ampla aliança continuam – o PT já havia formalizado a coligação com o PSB, que tem o nome de David Almeida ao governo. “Ainda temos a expectativa de manter a coligação na integralidade”, disse Eron Bezerra após o registro da coligação.

A decisão só foi possível por causa da petição submetida pela direção nacional do PT ao TRE-AM nesta quarta anulando parcialmente a convenção eleitoral do PT local, realizada no último dia 05. A petição determinou que a vaga no partido ao Senado é de Vanessa Grazziotin, cabendo aos petistas e os demais aliados indicarem os seus suplentes.

Em coletiva à imprensa nesta quarta, a senadora Vanessa disse que a questão legal é que existe uma coligação entre o seu partido e o PT. “Mas mesmo assim nós não vamos nos opor, caso eles queiram recompor aquela grande coligação. Isso não é um problema”, disse a senadora.

Grazziotin afirmou que mesmo sozinho, com apenas sete segundos, o PCdoB não iria abrir mão da sua candidatura. “Nós precisamos lutar e trabalhar muito para manter a defesa do Amazonas e a voz do trabalhador no Congresso Nacional, sobretudo no Senado”, disse.