08 de agosto de 2018, 17h28

PT entra com mandado de segurança no TRF4 para ter Lula no debate da Band

A emissora recusou o pedido do PT para que o vice da chapa, Fernando Haddad, representasse o ex-presidente no debate; à Justiça, partido sugere que Lula, primeiro lugar em todas as pesquisas de intenção de voto, participe presencialmente ou por vídeoconferência

Foto: Ricardo Stuckert
O PT ingressou com um mandado de segurança no Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4), nesta quarta-feira (8), para que o ex-presidente Lula possa participar do debate entre presidenciáveis da TV Bandeirantes, na quinta-feira (9). Esse será o primeiro encontro de candidatos à presidência da TV aberta nas eleições deste ano. O partido tentava junto à Bandeirantes que Fernando Haddad, vice de Lula na chapa, participasse do debate representando o presidente. O pedido foi negado pela emissora e o PT, então, acionou a Justiça. A primeira tentativa, na segunda-feira (6), sequer foi analisada pela juíza substituta do TRF4 Bianca Arenhart,...

O PT ingressou com um mandado de segurança no Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4), nesta quarta-feira (8), para que o ex-presidente Lula possa participar do debate entre presidenciáveis da TV Bandeirantes, na quinta-feira (9). Esse será o primeiro encontro de candidatos à presidência da TV aberta nas eleições deste ano.

O partido tentava junto à Bandeirantes que Fernando Haddad, vice de Lula na chapa, participasse do debate representando o presidente. O pedido foi negado pela emissora e o PT, então, acionou a Justiça. A primeira tentativa, na segunda-feira (6), sequer foi analisada pela juíza substituta do TRF4 Bianca Arenhart, que em decisão monocrática argumentou que o partido não tinha legitimidade para fazer tal pedido. Antes a juíza de execução penal de Lula, Carolina Lebbos, havia negado pedido de emissoras para entrevistar o ex-presidente.

O novo pedido será analisado pela 4ª sessão da Corte. No mandado, o PT sugere que Lula participe do debate presencialmente ou através de videoconferência.

Leia também
Haddad e Manuela planejam debate paralelo ao da TV Bandeirantes