Imprensa livre e independente
08 de outubro de 2018, 00h01

PT reduz número de representantes e bancada progressista perde força no Senado

Peças chaves na guerra travada contra o golpe parlamentar contra a ex-presidenta Dilma Rousseff (PT), Lindbergh Farias (PT-RJ) e Roberto Requião (MDB-PR) não conseguiram a reeleição.

Foto: Agência Senado
A bancada progressista no Senado Federal sofreu perdas importantes e ficará reduzida a partir de 2019. Peças chaves na luta por direitos e na guerra travada contra o golpe parlamentar contra a ex-presidenta Dilma Rousseff (PT), Lindbergh Farias (PT-RJ) e Roberto Requião (MDB-PR) não conseguiram a reeleição. Além disso, com o fim do mandato de figuras importantes como Gleisi Hoffman (PT-PR) e Jorge Vianna (PT-AC), o Partido dos Trabalhadores vai reduzir sua bancada de 9 para 6 representantes no Senado Federal. Além das reeleições de Humberto Costa (PT-PE) e de Paulo Paim (PT-RS), o partido conseguiu apenas mais duas cadeiras,...

A bancada progressista no Senado Federal sofreu perdas importantes e ficará reduzida a partir de 2019. Peças chaves na luta por direitos e na guerra travada contra o golpe parlamentar contra a ex-presidenta Dilma Rousseff (PT), Lindbergh Farias (PT-RJ) e Roberto Requião (MDB-PR) não conseguiram a reeleição.

Além disso, com o fim do mandato de figuras importantes como Gleisi Hoffman (PT-PR) e Jorge Vianna (PT-AC), o Partido dos Trabalhadores vai reduzir sua bancada de 9 para 6 representantes no Senado Federal. Além das reeleições de Humberto Costa (PT-PE) e de Paulo Paim (PT-RS), o partido conseguiu apenas mais duas cadeiras, com Jaques Wagner (PT-BA) e Rogério Carvalho (PT-SE).

Duas eleições com grandes potenciais não vingaram: Dilma Rousseff (PT-MG) terminou em quarto lugar, com 15% da preferência do eleitorado mineiro, e Eduardo Suplicy (PT-SP) foi surpreendido pelo bolsonarista Major Olímpio (PSL) e por Mara Gabrilli, na reta final da eleição.

Outra perda importante é da senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB), que terminou na quinta colocação na disputa no Amazonas, com pouco mais de 11% dos votos válidos. Já Ranfolfe Rodrigues (Rede) foi reeleito pelo Amapá.

Veja também:  Frente de dez partidos, entre eles PSDB e PT, funda movimento “Direitos Já” contra Bolsonaro

Veja abaixo todos os eleitos – e reeleitos –  neste domingo (7), que vão exercer mandato a partir de 2019.

Acre
Petecão (PSD)
Marcio Bittar (MDB)

Alagoas
Rodrigo Cunha (PSDB)
Renan Calheiros (MDB)

Amapá
Randolfe (Rede)
Lucas Barreto (PTB)

Amazonas
Plínio Valério (PSDB)
Eduardo Braga (MDB)

Bahia
Jaques Wagner (PT)
Angelo Coronel (PSD)

CE
Cid Gomes (PDT)
Eduardo Girão (PROS)

DF
Leila do Vôlei (PSB)
Izalci (PSDB)

Espírito Santo
Fabiano Contarato (REDE)
Marcos do Val (PPS)

Goiás
Vanderlan (PP)
Jorge Kajuru (PRP)

Maranhão
Weverton (PDT)
Eliziane Gama (PPS)

Mato Grosso
Juiza Selma Arruda (PSL)
Jayme Campos (DEM)

Mato Grosso do Sul
Nelsinho Tirad (PTB)
Soraya Thronicke (PSL)

Minas Gerais
Rodrigo Pacheco (DEM)
Jornalista Carlos Viana (PHS)

Pará
Jader Barbalho (MDB)
Zequinha Marinha (PSC)

Paraíba
Veneziano (PSB)
Daniela Ribeiro (PP)

Paraná
Professor Oriovisto Guimarães (Podemos)
Flávio Arns (Rede)

Pernambuco
Humberto Costa (PT)
Jarbas Vasconcellos (MDB)

Piauí
Ciro Nogueira (PP)
Marcelo Castro (MDB)

Rio de Janeiro
Flávio Bolsonaro (PSL)
Arolde de Oliveira (PSD)

Veja também:  Bancada do PT pede ao TCU apuração da viagem de Bolsonaro e ministros a Dallas

Rio Grande do Norte
Capitão Styvenson (Rede)
Drª. Zenaide Maia (PHS)

Rio Grande do Sul
Luiz Carlos Heinze (PP)
Paulo Paim (PT)

Rondônia
Marcos Rogério (DEM)
Confucio Moura (MDB)

Roraima
Chico Rodrigues (DEM)
Mecia de Jesus (PRB)

Santa Catarina
Esperidião Amin (PP)
Jorginho MEllo (PR)

São Paulo
Major Olímpio (PSL)
Mara Gabrilli (PSDB)

Sergipe
Delegado Alessandro Vieira (Rede)
Rogério Carvalho Santos (PT)

Tocantins
Eduardo Gomes (Soliedariedade)
Irajá (PSD)

Fórum em Brasília, apoie a Sucursal

Fórum tem investido cada dia mais em jornalismo. Neste ano inauguramos uma Sucursal em Brasília para cobrir de perto o governo Bolsonaro e o Congresso Nacional. A Fórum é o primeiro veículo a contratar jornalistas a partir de financiamento coletivo. E para continuar o trabalho precisamos do seu apoio. Clique no link abaixo e faça a sua doação.

Apoie a Fórum