Imprensa livre e independente
18 de março de 2014, 19h32

Putin e líderes de Crimeia e Sebastopol assinam acordo de anexação

Tratado, que ainda precisa passar pelos três parlamentos, prevê que região autônoma torne-se da Federação Russa

Tratado, que ainda precisa passar pelos três parlamentos, prevê que região autônoma torne-se da Federação Russa Do Opera Mundi O presidente russo, Vladimir Putin, e os líderes de Crimeia e Sebastopol assinaram nesta terça-feira (18) tratado que determina a anexação da república da Crimeia e da cidade de Sebastopol à Rússia. A assinatura do acordo ocorreu em cerimônia solene diante dos parlamentares e chefes de todas as regiões russas reunidos na Sala de São Jorge, no Grande Palácio do Kremlin. O primeiro-ministro da Crimeia, Sergei Axionov, o chefe do parlamento, Vladimir Konstantinov, e o chefe da cidade de Sebastopol, Alexei...

Tratado, que ainda precisa passar pelos três parlamentos, prevê que região autônoma torne-se da Federação Russa

Do Opera Mundi

O presidente russo, Vladimir Putin, e os líderes de Crimeia e Sebastopol assinaram nesta terça-feira (18) tratado que determina a anexação da república da Crimeia e da cidade de Sebastopol à Rússia.

A assinatura do acordo ocorreu em cerimônia solene diante dos parlamentares e chefes de todas as regiões russas reunidos na Sala de São Jorge, no Grande Palácio do Kremlin.

O primeiro-ministro da Crimeia, Sergei Axionov, o chefe do parlamento, Vladimir Konstantinov, e o chefe da cidade de Sebastopol, Alexei Chali, que se integrará à Rússia como cidade federada, firmaram o acordo.

Por meio do documento, tanto Crimeia como Sebastopol (onde fica a base da Frota do Mar Negro) tornam-se automaticamente integrantes da Federação Russa, depois que os três parlamentos ratificarem o tratado. “Peço que vocês considerem a anexação da República da Crimeia e de Sebastopol”, afirmou Putin aos parlamentares russos.

O tratado estipula que os habitantes da Crimeia irão adquirir nacionalidade russa se “no prazo de um mês” não declararem o desejo de manter sua atual nacionalidade. Além disso, contempla a realização de eleições regionais na Crimeia e municipais em Sebastopol em setembro de 2015.

Veja também:  CNJ abre investigação sobre "passarela da adoção", que expôs crianças em shopping no MT

Até lá, as autoridades da Crimeia seguirão exercendo o poder. A república terá três idiomas oficiais: russo, ucraniano e crimeano-tártaro.

A Crimeia tem dois milhões de habitantes, dos quais cerca de 60% são russos, 24%, ucranianos e 12%, tártaros.

*Foto: Reprodução/RT

Fórum em Brasília, apoie a Sucursal

Fórum tem investido cada dia mais em jornalismo. Neste ano inauguramos uma Sucursal em Brasília para cobrir de perto o governo Bolsonaro e o Congresso Nacional. A Fórum é o primeiro veículo a contratar jornalistas a partir de financiamento coletivo. E para continuar o trabalho precisamos do seu apoio. Clique no link abaixo e faça a sua doação.

Apoie a Fórum