22 de dezembro de 2018, 11h24

“Quem revelar o paradeiro de Queiroz terá direito a uma benção de João de Deus”, diz Requião

“Bom dia Queiroz, todos desejamos seu pronto restabelecimento e sua arrasadora delação premiada!”, postou ainda o senador

(Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)

O senador Roberto Requião ironizou o fato do ex-motorista do deputado estadual e senador eleito Flávio Bolsonaro (PSL), Fabrício José Carlos Queiroz, ter faltado pela segunda vez, nesta sexta-feira (21) a um depoimento marcado na sede do Ministério Público Estadual do Rio (MP-RJ.

Por conta do fato, Requião postou, neste sábado (22), em sua conta no Twitter que “quem revelar o paradeiro de Queiroz terá direito a uma benção de João de Deus”.

Fórum precisa ter um jornalista em Brasília em 2019. Será que você pode nos ajudar nisso? Clique aqui e saiba mais

“A grande e poderosa mídia anuncia “quem revelar o paradeiro de Queiroz terá direito a uma benção de João de Deus”.

A seguir, Requião ainda postou:

“Bom dia Queiroz, todos desejamos seu pronto restabelecimento e sua arrasadora delação premiada!”

Relembre o caso

O motorista, que entrou na mira do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) após ser detectada uma movimentação atípica no valor de R$ 1,2 milhão em sua conta entre janeiro de 2016 e janeiro de 2017, não aparece desde a divulgação das denúncias.

Enquanto isso, o caso fica cada vez mais enrolado. As filhas do motorista também apareceram como contratadas do gabinete de Flávio Bolsonaro, sendo que uma delas, Nathalia de Melo Queiroz, chegou a trabalhar no gabinete do patriarca da família, Jair Bolsonaro. Em outra denúncia, consta que enquanto Nathalia assessorou o deputado estadual e senador eleito na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj) trabalhava também como recepcionista em uma academia a 14 quilômetros da Alerj e fazia faculdade de Educação Física na Universidade Rio Branco, em Realengo, a 30 quilômetros da casa legislativa.

Além disso, Wellington Romano, outro ex-assessor de Flávio Bolsonaro na Alerj e um dos funcionários que repassou dinheiro ao motorista, em 1 ano e 4 meses como assessor, passou 248 dias em Portugal recebendo integralmente seu salário de R$5.400.

Agora que você chegou ao final deste texto e viu a importância da Fórum, que tal apoiar a criação da sucursal de Brasília? Clique aqui e saiba mais