#FÓRUMCAST
29 de Abril de 2014, 19h02

Quer saber o que é opressão adultista?

Ser criança é ser gente pequena num mundo pensado e feito para gente grande. Ser criança é ser uma pessoa fraca num mundo em que impera a lei do mais forte. Democracia só existe entre adultes, da porta para fora de casa. Ser criança é não ter controle sobre nada, nem mesmo seu próprio corpo. À […]

crushing-boot-melphick

Ser criança é ser gente pequena num mundo pensado e feito para gente grande.

Ser criança é ser uma pessoa fraca num mundo em que impera a lei do mais forte. Democracia só existe entre adultes, da porta para fora de casa.

Ser criança é não ter controle sobre nada, nem mesmo seu próprio corpo. À maioria das crianças não é dado sequer o direito de escolher o quanto ou quando comer, ou o que vestir.

Ser criança é ter que respeitar mesmo não sendo respeitade. Que pessoa adulta, por exemplo, receberia o tratamento que recebe uma criança quando comete algum erro?

Ser criança é as pessoas implicarem com você o tempo todo sob o pretexto de te educar.

Ser criança é ter seus sentimentos constantemente relevados ou ridicularizados, ou ainda feridos por esporte, porque é “tão bonitinho” quando você fica triste, com raiva, etc.

Ser criança é não te levarem a sério mesmo em assuntos em que você sabe mais do que quem fala com você.

Ser criança é seu comportamento natural ser transformado numa patologia para que as pessoas possam sedar você a fim de que sua convivência seja mais cômoda para elas.

Ser criança é ter necessidades suas – de atenção, de brincadeira, de movimento livre, de vocalização e verbalização – tratadas como capricho e postas em segundo plano.

Ser criança é ter que ouvir que não gostam de você, ou mesmo te odeiam, sem nem te conhecer, e isso não ser considerado ofensivo.

Ser criança é estar completamente à mercê de quem cuida de você. É não ter como fugir e depender de e amar quem te atormenta. E as pessoas não te socorrerem porque ninguém quer “se meter”.

Ser criança é se transformar num saco de pancadas emocional ou físico num estalar de dedos, é ser uma tela em branco em que se projetam os desejos mais sórdidos e os medos mais terríveis dos adultos. Ser vítima de violência e te culparem pela violência que você sofreu.

Ser criança é ser frágil, vulnerável e sem voz.