18 de dezembro de 2018, 11h44

Questionamentos a Bolsonaro e filho são “inconvenientes”, diz ministro de Michel Temer

Alvo de diversos inquéritos e protegido por foro privilegiado, Moreira Franco afirmou que “o que não se pode é repetir com Bolsonaro o que fizeram com Temer”.

Montagem/Agência Brasil

Ministro de Minas e Energia de Michel Temer (MDB) e alvo de inúmeros inquéritos, Moreira Franco (MDB) saiu em defesa do presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), e do filho dele, o senador eleito Flávio Bolsonaro (PSL/RJ), envoltos no escândalo do esquema laranja do ex-assessor Fabrício de Queiroz, que movimentou R$ 1,2 milhão suspeito, segundo o Coaf.

“Sem prova, sem observação mais apurada, já estão impondo ao presidente eleito que tenha de responder a perguntas absolutamente inconvenientes”, disse Moreira Franco, em entrevista a Vera Rosa e Tânia Monteiro, na edição desta terça-feira (18) do jornal O Estado de S.Paulo.

Para Moreira Franco, “o que não se pode é repetir com Bolsonaro o que fizeram com Temer”, em uma referência ao desgaste sofrido pelo presidente Michel Temer desde maio do ano passado, após delações do empresário Joesley Batista, da J&F.

Leia a reportagem na íntegra.