26 de dezembro de 2017, 11h14

Recurso da Record contra religiões afro-brasileiras será julgado em fevereiro

A emissora foi condenada a ceder 16 horas de direito de resposta por “depreciar religiões de matiz africana”

A emissora foi condenada a ceder 16 horas de direito de resposta por “depreciar religiões de matiz africana”

Da Redação*

A coluna de Mônica Bergamo informa que o Tribunal Regional Federal da 3ª Região julgará no dia 1º de fevereiro o recurso que a TV Record apresentou contra uma decisão judicial de 2015 que a condenou a ceder 16 horas de sua programação ao direito de resposta a grupos ligados a religiões afro-brasileiras.

O processo é baseado em uma ação civil de 2004 na qual ONGs e o Ministério Público Federal acusam a emissora de exibir programas em que “representantes de determinadas religiões depreciam as de matriz africana”, “induzindo diretamente à discriminação”. A Record afirmou que não se manifestará sobre o assunto.

*Com informações da coluna de Mônica Bergamo

Foto: Adenilson Nunes/AGECOM