Imprensa livre e independente
24 de abril de 2018, 09h07

Recursos de Azeredo serão julgados hoje, mas chance de ele ser preso é pequena

O julgamento do recurso acontece 11 anos depois de Azeredo ter sido denunciado

O Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) julga nesta terça-feira (24), 11 anos depois de ter sido denunciado, novo recurso movido pela defesa do ex-governador mineiro Eduardo Azeredo (PSDB) para evitar que ele vá para a prisão pelo esquema que ficou conhecido como mensalão tucano. Condenado em segunda instância há oito meses, Azeredo aguarda o julgamento em liberdade e pode ser o primeiro tucano a ser preso. Juristas ouvidos pelo UOL afirmam que, ainda que essa segunda leva de recursos seja rejeitada, Azeredo poderá recorrer novamente para evitar a prisão. Em entrevista na semana passada, Azeredo disse esperar “que Deus ilumine os...

O Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) julga nesta terça-feira (24), 11 anos depois de ter sido denunciado, novo recurso movido pela defesa do ex-governador mineiro Eduardo Azeredo (PSDB) para evitar que ele vá para a prisão pelo esquema que ficou conhecido como mensalão tucano.

Condenado em segunda instância há oito meses, Azeredo aguarda o julgamento em liberdade e pode ser o primeiro tucano a ser preso.

Juristas ouvidos pelo UOL afirmam que, ainda que essa segunda leva de recursos seja rejeitada, Azeredo poderá recorrer novamente para evitar a prisão.

Em entrevista na semana passada, Azeredo disse esperar “que Deus ilumine os desembargadores” que julgariam seus recursos e chamou sua condenação de “tentativa de compensação” pela prisão de Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

Leia a matéria completa no UOL

Veja também:  Em artigo, Tabata Amaral fala em renúncia ou impeachment de Bolsonaro como saídas para a crise

Fórum em Brasília, apoie a Sucursal

Fórum tem investido cada dia mais em jornalismo. Neste ano inauguramos uma Sucursal em Brasília para cobrir de perto o governo Bolsonaro e o Congresso Nacional. A Fórum é o primeiro veículo a contratar jornalistas a partir de financiamento coletivo. E para continuar o trabalho precisamos do seu apoio. Clique no link abaixo e faça a sua doação.

Apoie a Fórum