Imprensa livre e independente
04 de maio de 2019, 14h44

Rede TV não exibirá entrevista de Lula gravada pela emissora

A emissora não só entrou com uma reclamação junto ao Supremo Tribunal Federal para garantir o direito de entrevistar o ex-presidente como gravou a entrevista na sexta-feira

Foto: Reprodução
O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, deu nesta sexta-feira (3), uma entrevista para o jornalista Kennedy Alencar, que seria exibida na Rede TV e num programa documental da rede britânica BBC. O site Lula.com foi informado, neste sábado, que a Rede TV decidiu não exibir a entrevista. Registre-se que emissora não só entrou com uma reclamação junto ao Supremo Tribunal Federal para garantir o direito de entrevistar o ex-presidente como gravou a entrevista no dia de ontem. A entrevista deve ser divulgada no exterior na BBC. Em seu blog, o jornalista publicou um pequeno trecho da entre vista: Lula: Por que...

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, deu nesta sexta-feira (3), uma entrevista para o jornalista Kennedy Alencar, que seria exibida na Rede TV e num programa documental da rede britânica BBC.

O site Lula.com foi informado, neste sábado, que a Rede TV decidiu não exibir a entrevista. Registre-se que emissora não só entrou com uma reclamação junto ao Supremo Tribunal Federal para garantir o direito de entrevistar o ex-presidente como gravou a entrevista no dia de ontem.
A entrevista deve ser divulgada no exterior na BBC.

Em seu blog, o jornalista publicou um pequeno trecho da entre vista:

Lula: Por que você acha que eu digo que não troco a minha dignidade pela minha liberdade? Porque, de vez em quando as pessoas falam “Ah, mas agora foi julgado e tem a tal da detração [penal] e você já pode sair”. Obviamente, quando os meus advogados disserem “Lula, você pode sair”, eu vou sair. Só sairei daqui se qualquer coisa que tiver que tomar decisão não impedir de eu continuar brigando pela minha inocência.

Veja também:  Guedes: Bolsonaro sente-se "agredido quando presidente do BNDES coloca na diretoria nomes ligados ao PT"

Kennedy Alencar: A questão da detração, presidente, é um direito que o sr. tem, pq o sr. já tem menos de oito anos de pena a cumprir. E, no regime brasileiro, pode ir para o semiaberto. Como não há vagas, o sr. poderia sair para trabalhar durante o dia e voltar para casa. O sr. vai pedir a detração penal?

Lula: Olha, eu só pedirei no dia em que meus advogados, o Cristiano e o Batochio, disserem pra mim “Presidente Lula, o sr. pode pedir, que, se o sr. pedir, o sr. pode continuar a sua briga pela sua inocência”.

KA: Os advogados já dizem isso.

Lula: Os meus advogados não disseram. Eu vou ter uma reunião com o Cristiano hoje, que eu quero entender bem isso. Tem muita gente dando palpite.

KA: Então, vamos ser claros aqui: se os advogados disserem que sr. pode pedir esse direito e isso significar que o sr. pode continuar dizendo que é inocente, o sr. vai pedir?

Lula:  Não é só dizendo, não. Eu quero continuar provando a minha inocência. Aí, eu posso pedir. (…)  Olha, se os advogados disserem para mim, “Lula, você pode pedir a detração e você vai continuar brigando pela sua inocência do mesmo jeito que você está”, eu não tenho nenhum problema de pedir, porque eu quero sair daqui.

Veja também:  PT paulista promove ato pela liberdade de Lula e para denunciar Vaza Jato

KA: O srs vai pedir ou não vai pedir?

Lula: Eu posso pedir.

KA: Pode ou vai?

Lula: Posso pedir se eles me garantirem que eu posso continuar me defendendo.

KA: Seja claro, presidente… se eles disserem, o sr. vai pedir?

Lula: Peço. Eu quero ir para casa. Agora, se eu tiver que abrir mão de continuar a briga pela minha defesa, eu não tenho nenhum problema de ficar aqui.

Segundo a assessoria do ex-presidente, a matéria vai ao ar às 19h25 deste sábado (4) no telejornal da RedeTV! Anteriormente, havia sido divulgado que a exibição seria nesta sexta (3).

Esta é a segunda entrevista concedida por Lula desde que foi levado a Curitiba, em 7 de abril de 2018. Na última sexta (26), ele falou aos jornalistas Mônica Bergamo, da Folha de S.Paulo, e Florestan Fernandes Júnior, do El País.

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum