Inverso Conjugado

[vc_row][vc_column][vc_single_image image=”98870″ img_size=”full”][/vc_column][/vc_row][vc_row][vc_column width=”2/3″][vc_basic_grid post_type=”post” max_items=”100″ grid_id=”vc_gid:1488484299458-6c1d79be-47ec-3″ taxonomies=”22890″][/vc_column][vc_column width=”1/3″][vc_column_text]Victor Hugo Felix
Jornalista e escritor, tem grande interesse em destrinchar o conteúdo de produções culturais. Autor de “Anseios”, lançado pela Editora Arwen.[/vc_column_text][vc_column_text]Guilherme Dogo
Estudante de jornalismo e leitor eclético, gosta de ler de mistérios à não-ficção. De Stephen King a Nuah Harari. Aprecia livros que o façam perder a estação do metrô e até alguns minutos preciosos de sono.[/vc_column_text][vc_column_text]Matheus Moreira
Repórter na Revista Fórum e amante dos contos de terror. Matheus gosta de geopolítica internacional, literatura de horror, fantasia e bate de frente com fãs de Allan Poe ao preferir a tradução de Machado de Assis para o famoso poema O Corvo.[/vc_column_text][vc_column_text]Sobre o blog
Ao conjugar um verbo, expandimos o seu significado no tempo, trazemos para contextos diversos uma série de fatores. Com este blog, buscamos expandir, nos tempos das coisas todas, as obras que se apresentarem a nós, dilatando seu significado, ressignificando e redesenhando impressões. Dentro de cada verso se esconde um poeta. Para nós, do “in verso conjugado”, a poesia extrapola a obra, nasce do autor e faz morada no público; que lhe dedica seus minutos, horas e dias. A eles, dedicaremos a leitura e, para eles, conjugaremos nossos próprios versos.[/vc_column_text][vc_widget_sidebar sidebar_id=”blog-sidebar”][/vc_column][/vc_row]