Imprensa livre e independente
31 de agosto de 2018, 11h19

Rejeição a Bolsonaro bate 61% e Haddad já empata com capitão em 2o turno

Na simulação de segundo turno entre Jair Bolsonaro e Fernando Haddad, Bolsonaro marca 37% contra 34% de Haddad - empate dentro da margem de erro, de 3,2 pontos percentuais

Reprodução
Pesquisa da XP Investimentos/Ipespe mostra que a rejeição ao candidato à presidência do PSL, Jair Bolsonaro, cresceu 2 pontos percentuais e agora está em 61%. Outro dado relevante da pesquisa é que na simulação de segundo turno entre o capitão da reserva e Fernando Haddad, possível substituto de Lula caso o ex-presidente seja impedido de concorrer, Bolsonaro marca 37% contra 34% de Haddad – empate dentro da margem de erro, de 3,2 pontos percentuais. No cenário de primeiro turno onde Lula aparece na pesquisa, o petista lidera com 33%, um ponto percentual a mais que na pesquisa anterior, realizada uma...

Pesquisa da XP Investimentos/Ipespe mostra que a rejeição ao candidato à presidência do PSL, Jair Bolsonaro, cresceu 2 pontos percentuais e agora está em 61%.

Outro dado relevante da pesquisa é que na simulação de segundo turno entre o capitão da reserva e Fernando Haddad, possível substituto de Lula caso o ex-presidente seja impedido de concorrer, Bolsonaro marca 37% contra 34% de Haddad – empate dentro da margem de erro, de 3,2 pontos percentuais.

No cenário de primeiro turno onde Lula aparece na pesquisa, o petista lidera com 33%, um ponto percentual a mais que na pesquisa anterior, realizada uma semana atrás. Jair Bolsonaro subiu de 20% para 21%. Outra novidade da pesquisa é que Ciro Gomes ultrapassou Marina Silva (Rede) e Geraldo Alckmin (PSDB) e  aparece no terceiro posto. O pedetista soma 8% dos votos e Marina e o tucano possuem 7% das intenções de voto.

João Amoêdo (Novo) tem 4% das intenções de voto; Alvaro Dias (Podemos) tem 3%; Guilherme Boulos (Psol) e Henrique Meirelles (MDB) tem 1% cada. Brancos, Nulos e Indecisos somam 12%.

Veja também:  "Bolsonaro que não espere ser recebido com festa em Pernambuco", diz Carlos Veras (PT-PE)

Já no cenário sem o ex-presidente Lula, Bolsonaro lidera com 23% e Marina Silva apresenta 13% de intenções de voto. Empatado com Marina, dentro da margem de erro, vem Ciro Gomes com 10%.

Geraldo Alckmin aparece com 9% e Haddad soma 6% dos votos. Nesse cenário, os votos brancos, nulos e indecisos crescem 75 pontos percentuais e chegam à casa dos 21%.

Quando Haddad é apresentado como o candidato apoiado por Lula, o ex-prefeito de São Paulo salta para 13% contra 21% de Bolsonaro e vai ao segundo turno contra o candidato do PSL. Nesse cenário, Ciro e Marina empatam em 10% e Geraldo Alckmin patina nos 8%. Brancos, Nulos e Indecisos somam 24% nessa simulação.

Segundo turno
A novidade da pesquisa é que, pela primeira vez, Fernando Haddad empata com Jair Bolsonaro na simulação de segundo turno. O ex-capitão do Exército marca 37% contra 34% de Haddad.

Bolsonaro não vence em nenhuma outra simulação de segundo turno: 45% x 34% contra Lula; 35% x 35% contra Alckmin; 37% x 34% contra Marina e 34% x 32% contra Ciro Gomes. Lula bateria qualquer rival no segundo turno e Geraldo Alckmin bateria Ciro Gomes (34% x 29%) e Fernando Haddad (36% x 24%).

Veja também:  Bolsonaro "ensina" reforma da Previdência a alunos de escola pública e é corrigido por Paulo Guedes

Certeza do voto
De acordo com o levantamento, 30% dos eleitores estão decididos a votar em Lula e 19% deles, a votar em Bolsonaro. Haddad já tem 9% de voto galvanizado, mesmo percentual de Marina Silva. Já no caso de Geraldo Alckmin e Ciro Gomes, esse percentual é de 8%.

A rejeição aos candidatos permanece alta. 61% dos eleitores não votaria em Bolsonaro e 60% rejeita Marina Silva. Para 59%, está vetada a escolha em Alckmin e Lula. Dos principais nomes, a rejeição mais baixa é de Haddad – 56%.

Fórum em Brasília, apoie a Sucursal

Fórum tem investido cada dia mais em jornalismo. Neste ano inauguramos uma Sucursal em Brasília para cobrir de perto o governo Bolsonaro e o Congresso Nacional. A Fórum é o primeiro veículo a contratar jornalistas a partir de financiamento coletivo. E para continuar o trabalho precisamos do seu apoio. Clique no link abaixo e faça a sua doação.

Apoie a Fórum