27 de novembro de 2018, 21h16

Renan Calheiros é absolvido da acusação de improbidade no caso Mônica Veloso

Alegação é que a construtora Mendes Júnior pagava a pensão alimentícia do filho que o senador teve com a jornalista Mônica Veloso, enquanto ele cuivava dos interesses da empresa no Congresso

Foto: Geraldo Magela/Agência Senado Renan Calheiros, senador pelo MDB de Alagoas, foi absolvido nesta terça-feira (27) da acusação de improbidade administrativa, no caso do pagamento de pensão alimentícia de um filho que teve com a jornalista Mônica Veloso. A 3ª Turma do Tribunal Regional Federal da 1ª Região entendeu, por unanimidade, que não havia provas que justificassem a acusação e acabou reformulando a decisão anterior da primeira instância, que tinha condenado Calheiros à perda do cargo, de acordo com informações de Fernanda Valente, do Conjur. Segundo a denúncia contra o senador, a construtora Mendes Júnior pagava a pensão ao filho...

Foto: Geraldo Magela/Agência Senado

Renan Calheiros, senador pelo MDB de Alagoas, foi absolvido nesta terça-feira (27) da acusação de improbidade administrativa, no caso do pagamento de pensão alimentícia de um filho que teve com a jornalista Mônica Veloso. A 3ª Turma do Tribunal Regional Federal da 1ª Região entendeu, por unanimidade, que não havia provas que justificassem a acusação e acabou reformulando a decisão anterior da primeira instância, que tinha condenado Calheiros à perda do cargo, de acordo com informações de Fernanda Valente, do Conjur.

Segundo a denúncia contra o senador, a construtora Mendes Júnior pagava a pensão ao filho de Calheiros. Em troca, ele cuidava dos interesses da empresa no Congresso. Conforme a Procuradoria-Geral da República, Mônica recebeu R$ 16,5 mil por mês, no período entre 2004 e 2006.

Fórum precisa ter um jornalista em Brasília em 2019. Será que você pode nos ajudar nisso? Clique aqui e saiba mais

Para Luís Henrique Machado, advogado de defesa do senador, a decisão do TRF-1 ratifica o que estabeleceu o Supremo Tribunal Federal (STF). “O tribunal, atento à decisão do Supremo responsável por analisar os mesmos fatos no âmbito criminal, readequou a interpretação e dissipou qualquer dúvida sobre eventual suspeita de repasse ilícito ao senador”, declarou. A defesa de Calheiros também contou com o advogado Marcos von Glehn.