03 de janeiro de 2019, 19h09

“Retórica e discurso de palanque”, diz Gleisi sobre “combate ao socialismo” de Bolsonaro

"Não adianta ficar fazendo discursos verborrágicos com um inimigo que eles estão criando. Eu quero saber é o que vão fazer pelo povo brasileiro. Não disseram", disse a deputada federal após visitar o ex-presidente Lula em Curitiba

Foto: Eduardo Matysiak
A deputada federal e presidenta do PT, Gleisi Hoffmann (PR), criticou nesta quinta-feira (3) o que chamou de “discurso de palanque” do presidente eleito Jair Bolsonaro. De acordo com a parlamentar, a narrativa do capitão da reserva de “combater o socialismo”, o “legado petista” etc não passa de “retórica”. “Isso tudo é retórica e discurso de palanque. Eu quero saber o que eles vão fazer para governar para o povo brasileiro. Não disseram como vão gerar emprego, como vão gerar renda. Não adianta ficar fazendo discursos verborrágicos com um inimigo que eles estão criando. Eles ganharam a eleição e vão...

A deputada federal e presidenta do PT, Gleisi Hoffmann (PR), criticou nesta quinta-feira (3) o que chamou de “discurso de palanque” do presidente eleito Jair Bolsonaro. De acordo com a parlamentar, a narrativa do capitão da reserva de “combater o socialismo”, o “legado petista” etc não passa de “retórica”.

“Isso tudo é retórica e discurso de palanque. Eu quero saber o que eles vão fazer para governar para o povo brasileiro. Não disseram como vão gerar emprego, como vão gerar renda. Não adianta ficar fazendo discursos verborrágicos com um inimigo que eles estão criando. Eles ganharam a eleição e vão fazer o que? Ficar brigando com o PT?”, disse Gleisi em entrevista na porta da superintendência da Polícia Federal em Curitiba, onde havia acabado de visitar o ex-presidente Lula.

Leia também
Ameaça comunista: Bolsonaro troca cadeiras vermelhas por cadeiras azuis no Alvorada

A parlamentar relatou que Lula está disposto “fisicamente e politicamente” e que o petista pediu para que as lideranças e parlamentares do partido atuem para defender os direitos da população e o legado do PT.

“A orientação principal é que a gente defenda os direitos do povo. Já governamos esse país, o que temos que fazer não é comprar brigas e bater boca, mas sim defender os direitos do povo. Falar do nosso legado, do que construímos ao longo de 13 anos. E mostrar com dados concretos o que precisa ser feito para melhorar a vida da população”, afirmou.

De acordo com Gleisi, a principal preocupação atualmente de Lula é com relação a economia. “O presidente está muito preocupado com a economia, porque é o que coloca as pessoas no mercado de trabalho, de consumo, na renda. A renda caiu, o salário mínimo que podeira ser reajustado, reduziu”, revelou a deputada, que reforçou ainda os planos do PT para tentar reverter o reajustei pífio promovido por Bolsonaro no salário mínimo através de um decreto legislativo.

“Esperamos que o Congresso tenha a dignidade de corrigir isso. O Congresso que concedeu aumento ao judiciário tem a oportunidade agora de mostrar que não vai tirar do pobre para fazer equilíbrio fiscal”, pontuou.