07 de setembro de 2018, 10h30

Revista Veja aponta Bolsonaro como um dos responsáveis pelo atentado que sofreu

“Uma vítima é sempre uma vítima, mas não se pode abstrair do fato de que uma vítima é também responsável pelo ambiente que ela própria ajuda a criar”, escreveu a revista

Atentado contra Bolsonaro. Foto: Reprodução

Em matéria intitulada “A facada da intolerância”, sobre o atentado sofrido pelo presidenciável Jair Bolsonaro (PSL), publicada nesta sexta-feira (7), a revista Veja responsabiliza em parte o próprio candidato pela facada que recebeu.

De acordo com a revista, “uma vítima é sempre uma vítima, mas não se pode abstrair do fato de que uma vítima é também responsável pelo ambiente que ela própria ajuda a criar. Nisso, Bolsonaro tem uma penitência a fazer, escreve a Veja.

A revista lembra ainda o modo de ser de Bolsonaro: “Com sua linguagem insultuosa e ofensiva a minorias e adversários políticos, combinada com seu elogio constante às soluções violentas, o candidato faz um convite irresponsável à exacerbação dos ânimos”.

O texto da Veja ainda recorda a reação de Bolsonaro ao atentado a tiros sofrido por um ônibus que participava da caravana de Lula pelo sul do país. “Quando o ônibus da caravana de Lula no sul do país foi alvo de tiros, Bolsonaro não condenou o ato criminoso. Ao contrário: ironizou e disse que era armação do PT”.

Surpreendentemente, a Veja ainda elogia a atitude dos oponentes do candidato: “Agora, seus adversários políticos vieram a público — civilizadamente — condenar a agressão inaceitável de que Bolsonaro foi vítima. É como se deve proceder numa democracia. Se o atentado de Juiz de Fora deixa alguma lição útil ao país, é esta: o extremismo e a radicalização nunca levarão um país a bom porto”, encerra.

Leia a matéria completa da Veja aqui.