15 de novembro de 2018, 15h18

Roberto Campos Neto é indicado por Bolsonaro para presidir o Banco Central

Economista é executivo do Banco Santander e neto de Roberto Campos, ex-ministro do Planejamento no governo militar do general Castelo Branco

Foto: Reprodução

Roberto Campos Neto, economista e executivo do banco Santander, foi indicado pelo grupo de Jair Bolsonaro para presidir o Banco Central (BC) a partir de 2019. A informação foi confirmada pela própria equipe de transição do governo eleito. De acordo com Alexandro Martello e Cláudia Bomtempo, no G1, para assumir o posto precisará antes ser sabatinado pela Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) do Senado Federal.

Será necessário, também, ser aprovado pelo plenário da Casa. O presidente do BC tem status de ministro, portanto, é beneficiado pelo foro privilegiado.

Fórum precisa ter um jornalista em Brasília em 2019. Será que você não pode nos ajudar nisso? Clique aqui e saiba mais

Campos Neto, como não poderia deixar de ser, é bem próximo ao futuro ministro da Economia, Paulo Guedes. Atualmente, responde pela tesouraria do Santander.

O avô

Conforme traz no nome, ele é neto do economista Roberto Campos, um dos principais nomes do pensamento liberal e defensor do Estado mínimo. Morto em 2001, Campos teve longa carreira política: fez parte da assessoria econômica de Getúlio Vargas, um dos presidentes do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) do governo de Juscelino Kubitschek, além de ministro do Planejamento no governo militar do general Castelo Branco. Ocupou os cargos de deputado federal e senador.