Imprensa livre e independente
03 de julho de 2017, 08h55

Rocha Loures fura fila de tornozeleira para sair da cadeia

Flagrado recebendo mala de dinheiro do esquema JBS, ex-assessor de Temer e ex-deputado passou à frente de mais de 100 pessoas que estão aguardando tornozeleira eletrônica, equipamento essencial para passar de regime fechado para prisão domiciliar   Por Redação   Foto J.Batista /Agencia Câmara   Ex-assessor de Michel Temer e flagrado recebendo mala de dinheiro da JBS, o ex-deputado federal Rocha Loures foi liberado pelo ministro Edson Fachin, do STF. Mas para sair da prisão em regime fechado e passar a cumprir pena em casa era necessário utilizar tornozeleira eletrônica. O problema é que em Brasília, onde reside, não existiam equipamentos disponíveis. A solução foi pedir “emprestado”...

Flagrado recebendo mala de dinheiro do esquema JBS, ex-assessor de Temer e ex-deputado passou à frente de mais de 100 pessoas que estão aguardando tornozeleira eletrônica, equipamento essencial para passar de regime fechado para prisão domiciliar

 

Por Redação   Foto J.Batista /Agencia Câmara

 

Ex-assessor de Michel Temer e flagrado recebendo mala de dinheiro da JBS, o ex-deputado federal Rocha Loures foi liberado pelo ministro Edson Fachin, do STF. Mas para sair da prisão em regime fechado e passar a cumprir pena em casa era necessário utilizar tornozeleira eletrônica. O problema é que em Brasília, onde reside, não existiam equipamentos disponíveis. A solução foi pedir “emprestado” para o Estado de Goiás, onde havia uma fila de mais de 100 pessoas esperando porque o estado está em dívida com a empresa fornecedora.

Rocha Loures só conseguiu furar a fila por ordem direta do secretário de Segurança Pública do estado, Ricardo Balestreri, que foi secretário de Segurança Nacional do Ministério da Justiça. Segundo informações do site Metrópoles, a determinação causou mal-estar entre técnicos do sistema penitenciário e dos presos que estão aguardando a tornozeleira para passarem a cumprir pena em casa.

Veja também:  Deputado por 28 anos, Bolsonaro diz que "grande problema" do Brasil é a classe política

O governo de Goiás está negociando com a empresa responsável o pagamento das dívidas e a volta do fornecimento regular do serviço. Em Brasília, uma empresa está em processo de contratação para implantar esse sistema de monitoramento eletrônico.

Fórum em Brasília, apoie a Sucursal

Fórum tem investido cada dia mais em jornalismo. Neste ano inauguramos uma Sucursal em Brasília para cobrir de perto o governo Bolsonaro e o Congresso Nacional. A Fórum é o primeiro veículo a contratar jornalistas a partir de financiamento coletivo. E para continuar o trabalho precisamos do seu apoio. Clique no link abaixo e faça a sua doação.

Apoie a Fórum