Imprensa livre e independente
18 de setembro de 2017, 09h26

Rodrigo Maia se atrapalha com Hino Nacional e vai para os trendtopics

O presidente da Câmara não foi o único ridicularizado na posse de Raquel Dodge. Na mesa, apenas a empossada e Cármen Lúcia não são investigadas por corrupção.

O presidente da Câmara não foi o único ridicularizado na posse de Raquel Dodge. Na mesa, apenas a empossada e Cármen Lúcia não são investigadas por corrupção. Da Redação A posse da Procuradoria Geral da República era de Raquel Dodge, mas quem roubou a cena foi o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM), ao deixar claro, ao vivo e a cores, que não sabia cantar o Hino Nacional. Rapidamente, Maia foi parar nos trendtopicas do Twitter com inúmeros comentários e memes. Outra coisa que chamou a atenção de público e imprensa foi a mesa. Além da empossada e da presidente...

O presidente da Câmara não foi o único ridicularizado na posse de Raquel Dodge. Na mesa, apenas a empossada e Cármen Lúcia não são investigadas por corrupção.

Da Redação

A posse da Procuradoria Geral da República era de Raquel Dodge, mas quem roubou a cena foi o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM), ao deixar claro, ao vivo e a cores, que não sabia cantar o Hino Nacional.

Rapidamente, Maia foi parar nos trendtopicas do Twitter com inúmeros comentários e memes.

Outra coisa que chamou a atenção de público e imprensa foi a mesa. Além da empossada e da presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Cármen Lúcia, todos os outros presentes, Rodrigo Maia, o presidente do Senado, Eunício Oliveira (PMDB) e, é claro, Michel Temer (PMDB), são investigados por corrupção.

Foto: Reprodução Internet

Veja também:  #GreveGeral é o assunto mais comentado do Twitter

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum