Imprensa livre e independente
26 de outubro de 2018, 16h40

Roger Waters entra com pedido na justiça para visitar Lula na prisão

Os advogados de Waters alegaram que o cantor é uma personalidade de reputação mundial na defesa dos direitos humanos

Foto: Mídia Ninja
Antes de deixar o Brasil, no domingo (28), o ex-Pink Floyd, Roger Waters quer visitar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. A coluna de Mônica Bergamo informa que o músico entrou com um pedido na Justiça para conhecer o ex-presidente na superintendência da Polícia Federal, em Curitiba, onde Lula está preso desde abril. Os advogados de Waters alegaram que ele é uma personalidade de reputação mundial na defesa dos direitos humanos. Além disso, citam também as “Regras de Mandela”, tratado adotado pela Organização das Nações Unidas (ONU) que garantem a todo e qualquer custodiado o contato com o mundo exterior. Também foi solicitada a...

Antes de deixar o Brasil, no domingo (28), o ex-Pink Floyd, Roger Waters quer visitar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

A coluna de Mônica Bergamo informa que o músico entrou com um pedido na Justiça para conhecer o ex-presidente na superintendência da Polícia Federal, em Curitiba, onde Lula está preso desde abril.

Os advogados de Waters alegaram que ele é uma personalidade de reputação mundial na defesa dos direitos humanos. Além disso, citam também as “Regras de Mandela”, tratado adotado pela Organização das Nações Unidas (ONU) que garantem a todo e qualquer custodiado o contato com o mundo exterior.

Também foi solicitada a presença de um tradutor já que o músico “não fala a língua portuguesa”, assim como Lula não domina a língua inglesa.

Turnê polêmica

Roger Waters tem causado polêmica entre os seus fãs desavisados desde seu primeiro show no Brasil, em São Paulo, no início de outubro, quando colocou o presidenciável Jair Bolsonaro (PSL) como neofascista em ascensão no telão.

Em todos os seus shows seguintes, o cantor sempre fez manifestações que causaram confusão e até um pedido de devolução do valor do ingresso.

Veja também:  "Não se fala em povo nesse governo", critica Lula

Em Salvador homenageou o capoeirista Moa do Katendê, que foi assassinado depois de dizer em uma discussão debar que votou em Fernando Haddad (PT), no primeiro turno da eleições. Foi criticado pelo ministro da Cultura, Sérgio Sá Leitão, que o acusou de receber R$ 90 milhões para fazer “campanha eleitoral disfarçada de show”.

No Rio de Janeiro, Waters chamou ao palco a família de Marielle Franco.

 

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum