Imprensa livre e independente
31 de janeiro de 2018, 19h29

Salário de Demóstenes Torres em novembro foi de R$218 mil

O ex-senador, que é procurador de Justiça, tem salário mensal de cerca de R$30 mil, mas no final do ano teve alguns abonos Por Redação Procurador de Justiça pelo estado de Goiás, o ex-senador Demóstenes Torres (PTB-GO) recebeu em novembro do ano passado R$218.547,17 de salário. Sua remuneração mensal como procurador é de cerca de R$30 mil mas, após entrar na Justiça, recebeu dinheiro extra do Ministério Público de seu estado. De acordo com o Ministério Público, o valor extra é correspondente à remuneração natalina (R$15 mil) e ao “abono de permanência”, que é a soma de todas as contribuições...

O ex-senador, que é procurador de Justiça, tem salário mensal de cerca de R$30 mil, mas no final do ano teve alguns abonos

Por Redação

Procurador de Justiça pelo estado de Goiás, o ex-senador Demóstenes Torres (PTB-GO) recebeu em novembro do ano passado R$218.547,17 de salário. Sua remuneração mensal como procurador é de cerca de R$30 mil mas, após entrar na Justiça, recebeu dinheiro extra do Ministério Público de seu estado.

De acordo com o Ministério Público, o valor extra é correspondente à remuneração natalina (R$15 mil) e ao “abono de permanência”, que é a soma de todas as contribuições previdenciárias feitas desde agosto de 2014, época em que ele já poderia ter solicitado aposentadoria. Para conseguir receber os valores, Demóstenes acionou a justiça em outubro do ano passado.

Demóstenes Torres está afastado do senado desde 2012 por conta do processo que respondia por corrupção passiva e advocacia privilegiada. O processo estava ligado a esquemas que ele supostamente mantinha com o empresário Carlinhos Cachoeira, mas as provas foram extintas pelo Supremo Tribunal Federal (STF) em 2016 e o processo extinto no ano passado.

Veja também:  Robôs bolsonaristas tentam desqualificar manifestações pela Educação com Lula Livre

 

 

Fórum em Brasília, apoie a Sucursal

Fórum tem investido cada dia mais em jornalismo. Neste ano inauguramos uma Sucursal em Brasília para cobrir de perto o governo Bolsonaro e o Congresso Nacional. A Fórum é o primeiro veículo a contratar jornalistas a partir de financiamento coletivo. E para continuar o trabalho precisamos do seu apoio. Clique no link abaixo e faça a sua doação.

Apoie a Fórum