11 de outubro de 2018, 13h31

Se Bolsonaro vencer, quem governará em janeiro será o general Mourão

Bolsonaro precisará fazer uma cirurgia a partir de 12 de dezembro e terá que ficar duas semanas em recuperação

Reprodução/Youtube

Se o candidato à Presidência, Jair Bolsonaro (PSL), vencer a eleição, quem deverá governar em janeiro será o seu candidato a vice, general Hamilton Mourão. É o que prevê o cirurgião-chefe da equipe médica do candidato, Antônio Luiz Macedo, do Hospital Israelita Albert Einstein.

Em entrevista ao Estadão, na tarde desta quarta-feira (10), o especialista afirmou que a operação para fechamento da colostomia (exteriorização do intestino para saída das fezes) só poderá ser feita após o dia 12 de dezembro.

A cirurgia, que requer duas semanas de recuperação, deverá ser adiada. Se o paciente se submetesse à operação ainda neste ano não haveria garantias que ele estaria completamente recuperado para uma eventual posse, no dia 1.º de janeiro.

Dessa forma, o ideal, segundo o médico, é que o procedimento seja feito somente em janeiro. “Eu me sentiria mais seguro se a gente fechasse (a colostomia) após a (eventual) posse, em janeiro. Mas se ele quiser fazer antes, não vejo grandes dificuldades”, declarou. “Ele é muito ativo, quase impulsivo, tem muita disposição para fazer as coisas, é capaz de ele querer tirar antes. Acho que se os exames estiverem bons no dia 18 de outubro, esperando terminar o pleito eleitoral, ele decide se fecha no meio de dezembro ou em janeiro”, disse Macedo.

Com informações do Estadão